A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), participou esta semana do 1º Workshop de Cadeias de Produção Prioritárias da Amazônia, por videoconferência, que tem como objetivo discutir soluções e propostas para o fortalecimento das cadeias de produção agroflorestais de maior relevância social e econômica da região Norte. Foram quatro dias de evento, composto por oito workshops com mais de 60 atividades, envolvendo mais de 100 convidados entre conferencistas, palestrantes, debatedores e moderadores.

O evento, promovido pelo núcleo regional Noroeste da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (SBCS), tem como principais realizadores a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Seagri, Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e a Universidade Federal de Rondônia (Unir).

Na terça-feira (27), o secretário da Seagri, Evandro Padovani, participou do Workshop da Cadeia de Produção do Cacau, onde debateu sobre as Políticas públicas para a expansão e consolidação da cacauicultura em Rondônia. “Nesse workshop tive a oportunidade de abordar a importância da cadeia produtiva do cacau da região. É um evento que vai somar com a política agrícola para cacauicultura que, nos últimos anos, o Estado de Rondônia vem implementando com a expansão da lavoura e com o uso de novas tecnologias, visando buscar novos mercados”, destacou.

Conforme disse o técnico em agropecuária geógrafo da Seagri e coordenador do workshop da Cadeia de Produção do Cacau, Francisco Anithoan, o evento discutiu as tecnologias e oportunidades de mercado no Brasil. “Debatemos a política agrícola para a cacauicultura de Rondônia, que vai se somar com um grande projeto da Zona de Desenvolvimento Sustentável (Amacro) que envolve três estados: Amazonas, Acre e Rondônia. A Seagri tem feito a sua parte com a execução de várias ações de incentivos para o setor”, disse.

Na quinta-feira (29), a Seagri participou do Workshop da Cadeia de Produção de Peixes Nativos, com a participação da gerente de Desenvolvimento de Aquicultura e Pesca da Seagri, Maria Mirtes. O evento reuniu os temas importantes da cadeia do peixe, como rastreabilidade, sanidade, genética, industrialização, tecnologia da informação aplicada à aquicultura, modelos de integração e mercado. Profissionais do Ministério da Agricultura (Mapa) apresentaram durante o workshop, as normas de produção exigidas pelo ministério principalmente referentes ao programa de sanidade aquícola “Aquicultura com Sanidade”.

“Durante o evento, apresentei o panorama da piscicultura do estado e como estamos trabalhando para fomentar o setor. Também foi uma oportunidade para os pesquisadores apresentarem os resultados das suas pesquisas aplicados à cadeia produtiva do peixe, além de mostrar o que podem nos oferecer em termos de apoio científico à algumas das nossas questões de produção como sanidade”, explicou Mirtes.

O evento, voltado para produtores, técnicos, estudantes das áreas técnicas e interessados, aconteceu de forma on-line. “Foi muito importante para as cadeias produtivas da região Norte, onde tivemos a oportunidade de conhecer as dificuldades e os avanços dos estados participantes. Nós estamos trabalhando fortemente para desenvolver as cadeias produtivas de nosso Estado, com a execução de diversas ações”, ressaltou Padovani.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui