Ministro da Saúde aconselha governo do Acre a contactar funerárias: “a coisa vai piorar” , em RO Governador Marcos Rocha vai “na contra mão” e começa a liberar

Porto Velho, RO – O governador Gladson Cameli cumpriu agenda neste domingo em Cruzeiro do Sul e afirmou a imprensa que este não é o momento de falar em política e eleições, mas sim de salvar vidas no momento de epidemia do coronavírus que já registrou 34 casos até o momento.

“Não sabemos nem se haverá eleição este ano e estou vendo muita correria política. O ministro de Saúde Mandetta me aconselhou a reunir os donos de funerárias porque o negócio é sério e ainda vai piorar” frisou o Chefe do Palácio Rio Branco

Para evitar problemas como a “mistura” de política no momento de pandemia, Gladson destaca que a doação de cestas básicas que o governo vai fazer seguirá rígidos critérios “para evitar um mal maior”, ponderou.

As cestas serão doadas para atender famílias atingidas por medidas restritivas por causa do coronavírus.

Em contramão da maioria dos Estados brasileiros, Governador Marcos Rocha flexibiliza Decreto de calamidade pública

O governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha (PSL), anunciou nesta quarta-feira (25/03), que está acrescentando dispositivos ao Decreto nº 24.887/2020, que determina Estado de Calamidade Pública em Rondônia, para garantir que parte do comércio seja aberto. A medida foi anunciada após pronunciamento em rede nacional do presidente Jair Bolsonaro, que diminuiu a gravidade da pandemia e pediu o fim das medidas de isolamento.

A maioria dos chefes estaduais do país decidiu manter as regras de isolamentos. Entretanto, o governador de Rondônia afirma que segue alinhado com o presidente.

Entre os serviços que voltarão a funcionar estão: restaurantes da beira da estrada, borracharias e empresas de serviços de manutenção, hotéis, lojas de construção civil, funerárias, escritórios de contabilidade, lojas de materiais de construção, lojas de agronegócio, entre outras.

O Poder Executivo Estadual afirmou que as aulas continuarão suspensas, uma vez que as crianças são consideradas alvos fáceis para contrair e transmitir o Coronavírus.

Durante o pronunciamento, Marcos Rocha disse ainda que irá rever as medidas na próxima semana, quando o decreto de Calamidade Pública cumpre o prazo determinado. Segundo ele, as regras podem ser amenizadas ou se tornarem mais rígidas a depender do cenário local.

Ainda que Rondônia possuam apenas 5 casos confirmados, o que significa que tais medidas estavam apresentando resultados satisfatórios, o Governador de Rondônia ao flexibilizar o Decreto de Calamidade Pública está contrariando as recomendações da Organização Mundial da Saúde e demais orientações de especialistas em saúde pública nacional e internacionalmente e, assim, menosprezando os efeitos da pandemia. Neste momento, Rondônia espera de seu governante bom senso e equilíbrio. Desta forma, quanto antes superarmos essa situação, logo voltaremos a nossa normalidade.

Fonte: AC 24 HORAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA