O Governo de Rondônia, por meio da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater) viabiliza a possibilidade de inseminar um grande número de animais em curto período, com a  implantação da tecnologia de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), que deve dar novos rumos aos serviços de assistência técnica e extensão rural voltados para a melhoria da qualidade da bovinocultura leiteira de Rondônia.

A aquisição das doses de sêmen bovino serão implantadas em animais de cinco municípios pré-selecionados. Os critérios para seleção dos beneficiários obedecerão aos requisitos estabelecidos, avaliados por médicos veterinários da Emater. A inseminação artificial em tempo fixo, é uma técnica onde se determina o dia e horário em que as vacas devem ser inseminadas. Trata-se de uma biotecnologia utilizada para solucionar as dificuldades no processo de inseminação artificial normal, com controle da ovulação do animal, por meio de protocolos hormonais.

Os sêmens estão sendo adquiridos, por intermédio de emenda parlamentar do deputado estadual Francisco Mendes de Sá Barreto Coutinho (Chiquinho da Emater), que disponibilizou R$ 200 mil para a aquisição da implantação da tecnologia em animais de produtores rurais assistidos pela Entidade. Serão realizados 3.200 protocolos de inseminações artificiais em tempo fixo nos municípios de Cabixi, Corumbiara, Parecis, Vale do Paraíso e Nova Mamoré, sendo 640 protocolos por município.

Serão realizados 3.200 protocolos de inseminações artificiais em tempo fixo

Os beneficiários, além de ter sua propriedade nesses municípios contemplados ou limítrofes, devem possuir até quatro módulos fiscais e até 20 animais a serem inseminados, que devem ter bom escore corporal e manejo sanitário adequados. As doses serão de sêmen convencional de reprodutor da raça girolando com grau de sangue ¾ e 5/8, sendo 1.600 doses para cada raça.

O sêmen a ser implantado será de touro provado pelo Sumário de touros do Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG Embrapa/Girolando 2019), provido de PTA leite positivo (capacidade prevista de transmissão) acima de 400 quilos e com a mãe apresentando lactação oficial de, no mínimo, 5.000 quilos/leite/dia, sendo o sêmen de, pelo menos, dois touros fracionados de forma igualitária.

O programa de IATF apresenta inúmeras vantagens em relação a inseminação artificial normal. Entre elas está a possibilidade de inseminar um grande número de animais em menor espaço de tempo, mais facilidade no manejo do rebanho, aumento da produtividade, já que haverá a melhoria genética do animal, maior controle sanitário de doenças sexualmente transmissíveis, além de se obter uma melhor padronização dos animais com maior potencial de produtividade e redução no custo de aquisição e manutenção de touros.

Para implantação dessa tecnologia nos municípios beneficiados, a Emater vai promover a capacitação de cinco médicos veterinários, um para cada município, a fim de nivelar os extensionistas acerca dos protocolos exigidos pela técnica de inseminação artificial em tempo fixo. Em contrapartida, o produtor rural beneficiado deverá seguir as orientações técnicas, ajustar o manejo nutricional e sanitário de seu rebanho, identificar as matrizes que vão receber as doses com marca de fogo, apresentar o exame de brucelose nas matrizes selecionadas, realizar avaliação ginecológica nessas matrizes por meio de ultrassonografia e garantir que não tenha touro nas proximidades em contato com as vacas protocoladas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui