A banda de música da Polícia Militar do Governo do Estado de Rondônia (PM) ganha reforço com a aquisição de novos equipamentos e instrumentos musicais, totalizando 21 itens, que vão contribuir para apresentações populares e em formaturas realizadas pela Corporação. A ato de entrega dos equipamentos ocorreu na manhã desta terça-feira (23), no quartel do Comando-Geral, em Porto Velho.

Foram destinados R$ 61 mil para aquisição dos instrumentos musicais. A verba é oriunda de emenda parlamentar de autoria do deputado estadual Alex Silva. Para o comandante-geral da PMRO, coronel Alexandre Luiz de Freitas Almeida, a banda de música é de suma importância e traz consigo uma grande missão de levar alegria, fé e esperança, não somente nas formaturas, como também em qualquer momento. “A banda representa a cultura da própria criação da Polícia Militar. São mais de sete décadas atuando em formaturas militares e eventos promovidos pelo Governo do Estado, representando para nós a parte artística da PM. A aquisição vem para fortalecer esse espírito de esperança trazido pela Polícia Militar por meio da banda de música”, declarou o comandante da PM, salientando ainda que a partir de agora haverá a ampliação dos músicos que têm habilidades para tocar determinados aparelhos, e poderão desenvolver suas aptidões com mais qualidade.

Foram adquiridos 21 itens, entre equipamentos e instrumentos musicais

O mestre da banda de música da Polícia Militar, sargento Quelson Amorim Ferraz, conta que este ano, a banda faz 77 anos de existência, com um efetivo de cerca de 30 integrantes. Com o cenário pandêmico, o efetivo do grupo está empregado ao serviço operacional, em cumprimento às determinações do decreto estadual. Mas apesar disso, o mestre afirma que o sentimento é de felicidade com a aquisição dos equipamentos. “O motivo é de alegria e quando a pandemia cessar, a banda irá comemorar com muita música”, declarou.

O sargento Quelson Amorim explicou ainda que, nos últimos dois anos, houve uma aquisição significativa de equipamentos para o grupo, que vem possibilitando a inserção de instrumentos eletrônicos, com a finalidade de otimizar a mão de obra e ampliar as possibilidades musicais. “Antigamente, havia mais as apresentações em solenidades cívicas e militares. Agora, com essa nova formação, temos a oportunidade de fazer um repertório diferenciado, aproximando ainda mais a Polícia Militar da comunidade”, salientou.

APRESENTAÇÕES EM LIVES

Apesar do cenário pandêmico, a banda de música buscou uma forma de se reinventar, passou a fazer apresentações por meio de transmissões ao vivo (lives), em uma plataforma digital. A banda de música foi uma das primeiras instituições militares a realizar lives. A iniciativa chamou a atenção de muitos, com boa repercussão, servindo de referência para a Polícia Militar de outros estados. “A programação das lives ocorreu com a permissão do Comando Geral da PM, que viabilizou fazer uma pesquisa de mercado para saber quais as músicas que estavam em evidência na época. Estudamos cada uma e fizemos as apresentações, com um repertório bem mesclado. O efeito de tudo isso foi a boa aceitação da banda como também da própria PM. Isso é notável, por meio dos comentários durante as lives”, observou o mestre da banda.

UM POUCO DA HISTÓRIA DA BANDA MILITAR

A banda de música da Polícia Militar de Rondônia foi criada em 1944, por intermédio do decreto nº 19 de 13 de setembro de 1944, pelo governador Aluízio Ferreira. Originalmente, era chamada pelo nome de banda de música da Guarda Territorial, criada com o propósito de elevar o brilho das formaturas da Corporação, e nesta oportunidade, também faziam apresentações de músicas populares da época, as chamadas marchinhas, tornando-se conhecida como “A Furiosa”, pelas apresentações musicais realizadas na Praça Aluízio Ferreira, no decorrer dos anos.

Em 1977, por meio do decreto nº 864, de 9 de setembro, a Guarda Territorial foi extinta, sendo incorporada à Polícia Militar todo o acervo patrimonial e recursos humanos, incluindo a equipe musical, que prosseguiu com o seu papel de cultura musical. Em 2018, a banda foi declarada Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial, conforme o Projeto de Lei nº 963 de 2018.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui