O Governo de Rondônia adquiriu 40 notebooks de alta tecnologia para a Polícia Militar, com recursos do Fundo Especial de Modernização e Reaparelhamento da Polícia Militar (Fumrespom), provenientes de leilão das viaturas sucateadas da corporação. A entrega aconteceu nesta terça-feira (23), no Comando Geral, e busca proporcionar melhores condições de trabalho aos policiais da Diretoria de Apoio Administrativo e Logístico (DAAL).

O diretor do departamento, major PM Alecsander de Menezes, comemorou os equipamentos entregues e frisou a importância da estruturação da corporação. “Vai contribuir especificamente no trabalho administrativo e operacional das nossas unidades, pois são ferramentas importantes em dias atuais, tendo em vista, que trabalhamos com o Sistema Eletrônico de Informações (SEI) e processos administrativos de justiça e disciplina, onde muitas oitivas serão de forma virtual. Então, esses equipamentos vão contribuir sobremaneira pro nosso trabalho”, disse.

O valor total dos equipamentos é de R$ 258.360 (duzentos e cinquenta e oito mil, trezentos e sessenta reais), onde a captação dos recursos são oriundos do leilão de uma frota de diversas viaturas da PM, já sucateadas. Cada notebook possui 16 Gigas de memória RAM, suficiente para suportar as demandas, dando mais agilidade nos trabalhos da corporação.

Para o comandante-geral da PM, Alexandre Luís de Freitas Almeida, leiloar a frota que estava parada já algum tempo em troca da aquisição desses equipamentos contribui para o melhor desempenho no trabalho policial, dando respostas mais eficazes aos recursos do Estado. “Com avanço da telemática e com a tecnologia que acompanha a Polícia Militar de Rondônia, é de suma importância que nós temos esses materiais no nível do trabalho que nós realizamos, então esses equipamentos vão nos ajudar muito nas videoconferências nesses tempos de pandemia, nas estatísticas, nos trabalhos que realizamos na área de informática”, declarou o comandante.

O coordenador adjunto da Fumrespom, Francisco Laerte, explica que para a aquisição dos equipamentos foi analisada a melhor proposta de licitação, buscando investir em qualidade e economicidade. “Cada computador custou R$ 6.459 (seis mil quatrocentos e cinquenta e nove reais) um valor abaixo do mercado. A economicidade que trará é de grande valia, pois irá proporcionar um link direto dos batalhões com as sessões de disciplina  e com o Ministério Público, com videoconferências, resolução de impasses de reintegração de posse, ou até mesmo de audiências com a justiça, por exemplo, julgamentos apuratórios de policiais militares ou até mesmo civis”, enfatizou Francisco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui