Governo de Rondônia firma parceria com instituição de ensino para classificação vegetal e formação profissional

Equipamento é usado no trabalho de certificação de padrão e qualidade dos produtos e sub produtos de origem vegetal, como arroz, feijão, milho e café

Porto Velho, RO  A Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado (Idaron) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (Ifro) unem esforços para melhorar a estrutura de ensino e serviços disponibilizada à população. Através de um termo de cooperação técnica, assinado nesta última segunda-feira (21), as duas instituições estão aparelhando os laboratórios do Ifro, para utilização tanto na classificação vegetal, feita pela Idaron, quanto na formação profissional de novos classificadores.

Documento foi assinado nesta última segunda-feira, em Porto Velho

“O equipamento é da Idaron e é usado no trabalho de certificação de padrão e qualidade dos produtos e sub produtos de origem vegetal, como arroz, feijão, milho e café. Como a demanda nos laboratórios da Agência é pequena, para que esses aparelhos não fiquem ociosos, a Idaron firmou parceria com o Ifro e os transferiu para os laboratórios do Instituto Federal, que são amplos e careciam da tecnologia para atuar na formação técnica de classificadores”, explicou o gerente de Inspeção e Defesa Sanitária Vegetal, Jesse de Oliveira Junior, acrescentando que “além do serviço de certificação continuar à disposição dos cidadãos e empresas rondonienses, os equipamentos de laboratório servirão para que o Ifro melhore a estrutura de ensino disponibilizada aos produtores e suas famílias”.

O Termo de Cooperação Técnica nasceu de iniciativa da Gerência de Defesa Vegetal da Idaron. “O serviço de classificação vegetal não é um serviço que pode ser prestado exclusivamente por agências do Governo, é um serviço que pode ser prestado pela iniciativa privada, então, essa parceria permitirá a formação de mão de obra para ter esse serviço especializado dentro do Estado, aumentando a quantidade de técnicos em todas as regiões”, avaliou Jesse de Oliveira Junior.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA