Três dos brasileiros fugitivos foram presos juntos no Paraguai em 2017

Supostos integrantes do PCC foram encontrados juntos em 2017 em uma casa a menos de 3 km do Mato Grosso do Sul com fuzis, drogas, dinheiro e carros

    • Kaique Dalapola, do R7
Armamentos apreendidos com brasileiros em 2017
Divulgação/MP do Paraguai

Entre os 75 fugitivos da penitenciária da cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã (MS), no último domingo (19), estão três brasileiros que foram presos juntos em 3 de maio de 2017 e denunciados pelo Ministério Público do país vizinho por associação criminosa, comércio de drogas e porte ilegal de arma.

David Timóteo Ferreira, 35 anos, Luís Antônio Varela da Silva, 23 anos, e Laurindo de Sousa Neto, 28 anos, supostamente integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), foram detidos em 2017 por autoridades paraguaias em uma casa no bairro de Bernardino Caballero, em Pedro Juan Cabellero, a menos de 3 km do território brasileiro.

Na residência em que os três estavam com outros dois brasileiros e dois paraguaios, foram localizados três fuzis de diferentes calibres, munições, drogas, dinheiro e carros com placas do Brasil e do Paraguai, além de materiais que seriam utilizados para preparar entorpecentes para comercialização.

Depois da ação, as autoridades paraguaias encaminharam os presos e tudo que foi apreendido com eles para a sede da Divisão de Investigação Criminal do departamento de Amambay (cuja capital é Pedro Juan Caballero). Posteriormente, os suspeitos foram levados para a penitenciária de onde fugiram no último final de semana.

Passagem em São Paulo

Antes mesmo de ser preso no Paraguai, David Timóteo já havia sido detido pelo menos uma vez no Brasil. Segundo a SAP-SP (Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo), ele é o único dos fugitivos do Paraguai que já passou pelo sistema carcerário paulista.

Ainda de acordo com a pasta, o fugitivo ficou por quatro meses no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Diadema, na Grande São Paulo, sob acusação de tráfico de drogas, em 2012.
Em fevereiro de 2013, David foi absolvido pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo). No entanto, o Ministério Público paulista recorreu e, em segunda instância, houve condenação a nove anos e oito meses de prisão em regime fechado. Mas ele estava solto e não foi preso novamente no Brasil.

Recapturados

Segundo o Ministério do Interior do Paraguai, dos 40 brasileiros que constam na lista de presos fugitivos da penitenciária de Pedro Juan Caballero, apenas Luís Alves Cruz, que usava o nome falso de Eduardo Alves da Cunha, foi recapturado. Ele foi pego por autoridades brasileiras em Ponta Porã na segunda-feira (20).

Também seguem nas ruas 30 paraguaios fugitivos, já que cinco foram recapturados. Ainda conforme o Ministério do Interior do país vizinho, os presos Charli Antonio Giménez Martínez e Sabio Darío González Figueredo foram pegos em Pedro Juan Caballero

Já os detidos José Enrique Ullón, Ronald Francisco Brítez e Orlando Manuel Vera estavam na cidade de Arroyito (departamento de Concepción) quando foram recapturados.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA