Assassinato brutal de empresário do ramo imobiliário de Cacoal

O empresário de Cacoal Júnior Jordani   era filho  de pioneiros de Cacoal, sócio proprietário do loteamento  Greeville e estava morando em  Vilhena a cerca de 05 anos, foi executado a tiros no início da noite desta segunda-feira, 20. O crime aconteceu na avenida Marechal Rondon, região central de Vilhena, quando a vítima, que tinha o apelido de “Juninho Careca”, conversava com amigos em frente uma loja de som automotivo.

De acordo com testemunhas, que foi ouvidas pelo FOLHA DO SUL ON LINE no local do assassinato, Júnior Jordani, de 40 anos, estava sentado com dois amigos na carroceria de uma picape, quando um motoqueiro chegou sozinho e de arma em punho.

Segundo relatos coletados pela polícia, enquanto os amigos fugiam numa direção, Junior corria em outra. O assassino o atingiu e, com ele já no chão, fez o restante dos disparos, todos na cabeça e a queima-roupa. A Polícia Técnica (perícia) encontrou próximo ao corpo pelo menos 5 cápsulas deflagradas de pistola calibre .380. Júnior apresentava uma fratura no braço, provavelmente provocada pela queda.

Um amigo do empresário, com quem ele havia falado pouco antes de morrer, disse que Jordani tem empreendimentos imobiliários em Cacoal e grande patrimônio também em Vilhena, onde também trabalhava com empréstimo de dinheiro. Aliás, segundo o amigo, esta parece ser a motivação do crime. “Tem dinheiro envolvido”, disse, enquanto observava o cadáver envolto numa grande poça de sangue.

A polícia ainda não tem pistas sobre o autor ou os motivos da execução, praticada de maneira diferente das outras registradas na cidade.

O corpo está sendo transladado para Cacoal e conforme informações obtidas o velório será restrito a família em conformidade com o decreto de distanciamento do covid 19.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA