Porto Velho, RO - A Justiça do Rio de Janeiro arquivou uma queixa-crime feita por uma advogada bolsonarista contra Felipe Neto por injúria e difamação. O motivo? A autora não apenas deixou de colher custas processuais, como anexou a petição inicial de maneira errada, na horizontal. Intimada a corrigir, a defesa não o fez.

"A perempção resulta da inércia da querelante no curso da ação penal privada, impedindo a demanda de prosseguir, acarretando a extinção da punibilidade do querelado", escreveu a juíza na sentença.

Flavia Ferronato — que se apresenta nas redes como arquiteta, contabilista, advogada e jornalista — alegava que teve maculada "gratuitamente" sua imagem e sua honra após uma resposta do youtuber a um post seu, no qual ela dizia:

"Engraçado que depois que a imprensa descobriu que o menino com a suástica no shopping em Pernambuco era fã de um dos irmãos Neto, a notícia morreu...".

Felipe classificou a narrativa como "mentirosa" e rebateu:

"O nazistinha do shopping tirou uma foto com o boneco do meu irmão dentro da loja do shopping, em claro DEBOCHE, falando 'meu ídolo'. A bolsonarista, gado doente que é, cria essa mentira e é compartilhada milhares de vezes", publicou.

Ferronato tem quase 300 mil seguidores no Twitter. Entre eles, além de Jair Bolsonaro e seus filhos, uma série de bolsonaristas como Milton Ribeiro, Tarcísio Freitas, Fabio Wajngarten, Ernesto Araújo e Ricardo Salles.

A seus 14,7 milhões de seguidores na mesma rede, Felipe Neto ironicamente parabenizou a advogada, pelo que chamou de "síntese da competência bolsonarista".

"Ela anexou os prints todos de lado, a juíza ia ter q editar foto por foto pra conseguir ler. É um nível de erro amador que um estagiário de primeiro semestre não cometeria", provocou.

Fonte: O Globo