Através das redes sociais, Japonês informou, dias desses, que passou o dia inteiro catando ovos na granja de sua propriedade/ Foto Divulgação

Porto Velho, RO - Fiscais da Vigilância Sanitária (VS) estiveram nessa quinta-feira, 28, na Granja Brasil, localizada no setor 13, área urbana de Vilhena, de propriedade do prefeito cassado e afastado do cargo, Eduardo Japonês (PSC)

Os servidores foram lá para fiscalizar o cumprimento do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre a empresa e a prefeitura para cumprimento de normas e exigências do Código Sanitário Municipal.

Entrevistado pelo Extra de Rondônia, o coordenador da VS, Alfredo Guancino Júnior, disse que a fiscalização deve-se após denúncia recebida no órgão e destacou que nada irregular foi constatado na empresa, em função do TAC estar dentro do prazo e que está sendo avaliado pela Procuradoria-Geral do Município. Guarino disse, ainda, que a fiscalização envolvendo alimentação de aves, produção de ovos e local de funcionamento é de responsabilidade do Idaron.

MACEDO VAI AO MP

Um dia após assumir o cargo de prefeito interino de Vilhena, Ronildo Macedo (Podemos) foi ao Ministério Público (MP) e formalizou denúncia acusando Japonês de usar o cargo para beneficiar a granja de sua propriedade.

De acordo com Macedo, Japonês ignorou manifestações da Procuradoria-Geral do Município e do próprio Poder Judiciário e, na condição de prefeito, autorizou prorrogação de prazo para o funcionamento da Granja Brasil, localizada no setor 13, na área urbana de Vilhena, contrariando exigências do Código Sanitário Municipal (leia mais AQUI).

DETERMINAÇÃO EM SESSÃO

Ainda, na sessão extraordinária realizada na última quarta-feira, 27, Macedo, ao usar a tribuna da Casa de Leis, fez graves acusações contra Japonês, presente na sessão, e determinou aos procuradores do Município uma fiscalização rigorosa na granja Brasil (leia mais AQUI).

Fonte: Extra de Rondonia