Soldado ucraniano é visto em cima de um tanque, na região de DonetskJORGE SILVA/REUTERS - 28.4.2022

Porto Velho, RO - Cerca de 10 mil soldados ucranianos morreram desde o início da invasão russa, segundo informou neste sábado (11) o assessor do presidente Volodmir Zelenski, Oleksiy Arestovych, por meio do YouTube.

O ministro da Defesa ucraniano, Oleksii Reznikov, havia estimado em mensagem recente que o número de seus próprios soldados mortos a cada dia em combate era de cerca de cem.

Este é o primeiro número relatado por Kiev do total de soldados ucranianos mortos desde o início da guerra, em 24 de fevereiro, embora o próprio Arestovych o tenha descrito como "aproximado".

O Estado-Maior ucraniano calcula, por outro lado, que o Exército russo tenha sofrido cerca de 32 mil baixas entre seus soldados, cerca de 150 das quais nas últimas 24 horas.

Fontes militares ucranianas também informaram que bombardeios pesados ​​continuam na região de Kherson, bem como em toda a frente do Donbass, e pediram a seus aliados ocidentais que acelerem o envio de munição e o fornecimento de armamento pesado.

Em sua habitual mensagem noturna ao país, Zelenski descreveu como "muito feroz" a luta no Donbass contra o Exército russo, que, segundo o presidente ucraniano, está tentando destruir todas as cidades do leste do país.

"A luta muito feroz continua no Donbass. Repito estes nomes todos os dias: Severodonetsk, Lysychansk, Bakhmut, Sloviansk", disse.

O presidente ucraniano acusou a Rússia de querer "destruir todas as cidades do Donbass, 'todas', não é exagero. Como Volnovakha, como Mariupol".

Esse é provavelmente, acrescentou, "o exemplo mais rápido da completa degradação de qualquer país: o caminho que o Estado russo percorreu em 107 dias" desde a invasão da Ucrânia.

Fonte: EFE