Reprodução TikTok

Porto Velho, RO - Uma nova tendência conhecida como a “trend do corretivo” tem circulado nas redes sociais e levantou um alerta entre as escolas e os pais. Diversos estudantes de Rondônia têm aderido ao “movimento”.

Em imagens que são gravadas até mesmo dentro das salas de aula e divulgadas principalmente no TikTok, adolescentes ensinam o passo a passo da tendência. Jovens pincelam o líquido em mesas das escolas e, depois de seco, raspam o produto até virar pó. Quando o produto está desfeito, os alunos cheiram o produto com canudos, ou encostando as narinas nas carteiras escolares.

Nas redes sociais, alunos menores de idade relatam problemas nas escolas, como suspensões, expulsões e até presença da polícia por causa da tendência. “Dois alunos já foram hospitalizados aqui em Porto Velho, por fazerem essa trend”, disse a diretora de uma escola estadual durante reunião de pais para alerta-los.

O que parece ser apenas uma brincadeira para os adolescentes pode trazer grandes riscos à saúde dos jovens. De acordo com os médicos, a inalação do produto pode levar a danos na mucosa do nariz e consequente sangramentos no nariz, além de agravar quadros de rinite, sinusite e provocar intoxicações graves.

Riscos a saúde

Outro risco, alertam os médicos, é que alterações na fórmula de cada produto podem levar a doenças graves. Os ingredientes mais comuns na fórmula do produto são óxido de titânio, responsável pela cor branca, e etanol, que funciona como um solvente, garantindo a secagem rápida do produto, ambos perigosos à saúde.

Os médicos explicam que a moda entre os jovens não tem nada de inofensiva. O hábito de cheirar o produto pode causar doenças respiratórias e intoxicação. A inalação pode causar problemas pulmonares graves, de obstrução das vias aéreas superiores, irritação da mucosa nasal e agravamento de quadros crônicos, como rinite.

Prática popular na década de 80

Na década de 80, a prática também se popularizou entre os estudantes e foi ligada ao aumento de casos relacionados a problemas cardíacos devido à presença de um material secante na fórmula do produto. Com isso, os fabricantes adicionaram um aroma forte ao produto para evitar que a prática continuasse.

No Brasil, as postagens sobre a prática do ‘Trend do Corretivo’ aparecem sobretudo nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A maioria das escolas emitiu alerta para que os pais fiquem atentos às redes sociais de seus filhos.

Fonte: Diário da Amazônia