Em causa está a companhia de vinho Miraval, que o ex-casal criou no sul de França em 2008 no Château Miraval. Pitt acusa Angelina de ter prejudicado a reputação do negócio.

Porto Velho, RO - A equipa legal de Brad Pitt entrou em tribunal com um processo contra Angelina Jolie, alegando que a atriz “procurou infligir danos” ao vender a sua parte do negócio a um oligarca russo. O ator alega que tinha concordado com a atriz em não vender as suas quotas sem o conhecimento do outro, de forma a manter os interesses do negócio que detinham em conjunto.

Segundo o jornal britânico Telegraph, o antigo casal de Hollywood adquiriu uma participação de controlo na Chateau Miraval SA, uma empresa francesa constituída por uma casa e uma vinha no sul de França, em 2008.

Os advogados do ator apontam que Angelina Jolie vendeu a sua parte do negócio em outubro ao grupo vinícola Tenute del Mondo, que é detido pelo milionário russo Yuri Shefler, que controla o Stoli Group.

A propriedade Miraval está localizada na aldeia de Correns no sudeste de França, e foi comprada pelo casal por cerca de 25 milhões de euros (£20,875,500).

De acordo com os documentos legais, Pitt contribuiu com 60% para o preço de compra, com Jolie a pagar os restantes 40%.

Com o processo em tribunal, Brad Pitt tem como objetivo provar a intenção de Angelina Jolie de o ter tentando prejudicar com este negócio.