Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro — Foto: Sergio Moraes/Reuters

Porto Velho, RO - As ações da Petrobras eram negociadas em queda de mais de 2% na manhã desta segunda-feira (20), após pedido de demissão do presidente da companhia em meio a crescentes pressões depois de novo reajuste de preços na semana passada e antes de nova interrupção nas operações envolvendo os papéis da companhia.

Após a divulgação de novo comunicado da Petrobras, anunciado que a companhia será comandada, interinamente, pelo atual diretor executivo de Exploração e Produção, Fernando Borges, as negociações dos papeis da petroleira voltaram a ser suspensas.

Na abertura do pregão, a negociação das ações da petroleira ficaram suspensas por cerca de 1 hora, em razão dos fatos relevantes divulgados ao mercado nesta manhã, e chegaram a cair 3% quando voltaram a ser negociadas perto das 10h.

Às 11h44, o Ibovespa, o principal índice da B3 recuava 0,64%, a 99.186 pontos. Veja mais cotações.

Na sexta-feira, a Bolsa fechou em queda de 2,90%, a 99.824 pontos, perdendo o patamar dos 100 mil pontos pela primeira vez desde novembro de 2020. Com o resultado, passou a acumular recuo de 10,35% no mês. No ano, a queda agora está em 4,77%.

Já os papéis da Petrobras tiveram um forte tombo e a empresa perdeu R$ 27,3 bilhões em valor de mercado.

O que está mexendo com os mercados?

O feriado nos EUA (emancipação dos escravos) limita o volume das negociações nos mercados financeiros nesta segunda-feira.

Os preços do petróleo eram negociados em leve queda, com o barril de Brent cotado ao redor de US$ 112. Já os preços do minério de ferro tombaram 8% na China, atingindo o menor patamar desde meados de dezembro, em meio à lenta retomada da atividade na construção civil chinesa, ao aumento dos estoques de aço nas siderúrgicas e receios de que a política de “covid zero” na China siga pressionado a economia local.

Por aqui, o destaque é a renúncia do presidente da Petrobras José Mauro Ferreira Coelho. O executivo sofreu pressão do governo após a estatal anunciar reajuste do diesel e da gasolina na última sexta-feira.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), convocou os líderes dos partidos governistas para discutir mudanças na política de preços da Petrobras nesta segunda-feira.

Fonte: G1