A sessão de hoje do TCU finalmente aprovará o modelo de privatização da Eletrobras.

Porto Velho, RO - Quem conhece a alma dos ministros do TCU fez as contas e informa o placar: dos nove ministros, sete dirão "sim" ao relatório de Aroldo Cedraz; o ministro Vital do Rego votará contra (e de forma contundente); e a ministra Ana Arraes não se manifestará por ser a presidente do tribunal.

Um placar tranquilo para o governo, portanto. Diz um ministro do TCU:

— Será uma votação sem emoção. Quem quiser emoção hoje que vá ao casamento do Lula.

Ontem, o novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, se reuniu com alguns ministros no TCU. Sachsida deu uma espécie de agenda do encaminhamento do processo a partir da decisão de hoje do TCU.

Já decidiu que no dia 25 será protocolado na CVM e na SEC (a CVM dos EUA) o pedido de registro da oferta pública global das ações ordinárias e das ADRs.

O passo seguinte será, finalmente, a capitalização da Eletrobras, marcada para o dia 9 de junho. Se tudo ocorrer como o previsto, a União passará a deter 45% do capital (hoje, possui 72%), deixando de ser a controladora da empresa.

Fonte: O Globo