Presidente sul-coreano prometeu adotar uma linha mais dura contra testes de armas de Pyongyang

Porto Velho, RO - 247, com RT - A Coreia do Sul se tornou o primeiro Estado-membro asiático do Centro de Excelência em Defesa Cibernética Cooperativa da Otan (CCDCOE), informou a agência de notícias Yonhap do país na quinta-feira.

Em um comunicado citado pela mídia, o Serviço Nacional de Inteligência de Seul (NIS) disse que planeja “fortalecer nossas capacidades de resposta cibernética a um nível de classe mundial, aumentando o número de nossa equipe enviada ao centro e expandindo o escopo do treinamento conjunto".

A adesão da Coreia do Sul ao CCDCOE elevou o número de membros para 32, sendo 27 Estados da Otan, referidos como nações patrocinadoras. A Coreia e os outros quatro membros de fora do bloco liderado pelos EUA estão contribuindo.

De acordo com o NIS, o serviço se candidatou ao CCDCOE em 2019 e participou das atividades do centro desde então – incluindo os jogos de guerra de defesa cibernética Locked Shields – por dois anos consecutivos desde 2020.

Comentando sobre sua admissão no grupo, a agência de inteligência de Seul observou que “as ameaças cibernéticas estão causando grandes danos não apenas a indivíduos, mas também a nações separadas e também transnacionalmente”, o que torna crucial uma “cooperação internacional estreita”.

Coreia do Norte critica o novo presidente do Sul, Yoon Suk-yeol: "pró-EUA" e "confrontador"

Um importante site norte-coreano criticou na quinta-feira o novo presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, descrevendo-o como “pró-Estados Unidos” e “confrontador”. Suk-yeol prometeu adotar uma linha mais dura contra testes de armas de Pyongyang.

A mídia estatal da Coreia do Norte ainda não fez comentários formais sobre Yoon, um conservador que deve assumir o cargo em 10 de maio, mas o site Uriminzokkiri emitiu críticas contundentes antes de sua posse.

"Yoon Suk-yeol despertou choque com comentários tão absurdos como 'ataque preventivo' e 'principal inimigo', e provocou uma loucura de confronto alardeando uma 'aliança Coreia do Sul-EUA mais forte'", disse.

A publicação referia-se aos comentários de Yoon de que ele permitiria um ataque preventivo à Coreia do Norte se os sinais de ataque fossem iminentes.

Esse tom anti-Coreia do Norte foi evitado pelo ex-presidente progressista Moon Jae-in, que procurou melhorar as relações.

Coreia do Norte lança míssil balístico em teste

A Coreia do Norte disparou nesta quarta-feira mísseis balísticos em direção à sua costa leste, informaram militares da Coreia do Sul. O lançamento ocorreu dias depois que Kim Jong-un prometeu reforçar seu arsenal nuclear "no ritmo mais rápido possível".

O Estado-Maior Conjunto de Seul (JCS) disse que detectou o lançamento por volta das 12h03 (03:03 GMT) da área de Sunan, em Pyongyang. A Guarda Costeira do Japão também relatou o lançamento e disse que poderia ser um míssil balístico.

Segundo o New York Times, a alta frequência dos testes sugere que Kim Jong-un está buscando avançar seus mísseis e capacidades nucleares, bem como ganhar influência diplomática.

Fonte: Brasil247