Algumas pessoas pensam que escrever sobre sentimentos e emoções é uma ação exclusiva dos poetas ou autores. Mas esse ato de escrever pode ser feito por qualquer um, principalmente por aqueles que buscam uma melhor saúde mental.

Escrever é benéfico para todos, simplesmente porque é terapêutico.

Uma das partes mais poderosas da psicoterapia é cultivar a capacidade de observar nossos pensamentos e sentimentos. E isso pode ser feito facilmente quando tiramos um tempo para escrever sobre nós mesmos.

Os benefícios da escrita terapêutica

Todos nós guardamos uma série de preocupações, medos e memórias, que, em sua maioria, não são revelados nem mesmo para pessoas do nosso círculo de relacionamentos.

Porém, ao escrever um diário pessoal, você poderá externar esses seus pensamentos, podendo avaliá-los sob uma nova perspectiva.

Além disso, ao guardar este diário e consultá-lo após um determinado período, você poderá acompanhar como a sua cabeça muda ao longo do tempo.

O diário pessoal também pode ser um complemento à psicoterapia, potencializando os resultados e acelerando o processo de evolução. Geralmente, o psicólogo recomenda que o paciente escreva um diário em casos de ansiedade, depressão, distúrbios alimentares, luto, abuso de substâncias, entre outras condições.

Escrevendo na prática

A escrita terapêutica é uma forma poderosa de conexão com o seu eu interior. E você não precisa entender tudo de gramática para fazer uma bela meditação por meio da escrita.

Além do mais, é uma tarefa de baixo custo, facilmente acessível e versátil.

A recomendação é usar simplesmente papel e caneta. Esqueça o smartphone para essa tarefa. Diferentemente do celular, o ato de escrever à mão ativa diversas áreas do cérebro envolvidas com a coordenação motora, memória, raciocínio, além de outras habilidades cognitivas.

Experimente reservar 15 minutos do dia para escrever em um diário os seus pensamentos e sentimentos mais profundos.

Não há problema em escrever apenas algumas palavras, assim como escrever várias páginas. Não há regras. Basta sentar e escrever no seu próprio ritmo, na quantidade e forma que você se sinta mais confortável.

Escreva tudo o que passa pela sua mente, sem filtros ou julgamentos. Não pense se é certo ou errado, se é bom ou ruim, ou se você deveria ter vergonha disso. A escrita terapêutica é apenas para você. Ninguém vai ler o que você escreve.

Você pode abordar sobre experiências traumáticas na infância, uma desilusão amorosa ou a perda de um ente querido. Utilize esses acontecimentos para fazer conexões entre eventos do seu passado e presente, assim como eles podem afetar o seu futuro.

Resolvendo assuntos inacabados

Se você estiver sem inspiração, imagine que você está escrevendo uma carta para um amigo próximo que simplesmente lhe perguntou "Como você está se sentindo?".

Outra forma seria você escrever para alguém que tenha "assuntos inacabados", mas sem precisar enviar a carta. O objetivo aqui é que você obtenha uma compreensão mais clara de seus próprios pensamentos e sentimentos sobre a pessoa.

Manter sua dor e suas emoções trancadas dentro de você não é benéfico. Leve-os para fora. Escreva-os.

Em resumo, escrever é uma forma de arte. É um recurso terapêutico poderoso que faz com que você enfrente seus problemas, além de oferecer as habilidades necessárias para resolvê-los.

Fonte: Rondoniagora