Treinamento está sendo ministrado pelo líder do projeto do Departamento de Transferências da União do Ministério da Economia

Porto Velho, RO - Técnicos estaduais e municipais que operam os recursos públicos oriundos das transferências da União, por meio da Plataforma Rede+Brasil, iniciaram na segunda-feira (18), o curso preparatório para implantação do novo modelo de Governança e Gestão “GestãoGov” em Rondônia. O modelo apoia o aprimoramento da governança e gestão das organizações, no manuseio dos referidos recursos, com foco nos resultados para o cidadão.

O treinamento, realizado na Escola de Governo, está sendo ministrado pelo líder do projeto do Departamento de Transferências da União do Ministério da Economia, Esaú Mendes, e faz parte da programação do 15ª Fórum Regional de Fortalecimento da Rede + Brasil, coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão – Sepog. Ele explicou que o novo modelo de excelência é fruto da nova Instrução Normativa Seges/ME que substitui o antigo MEG-TR, mas que continua com o mesmo objetivo; “Dar suporte e auxiliar as organizações na administração de recursos, por meio do levantamento das práticas de gestão e dos seus resultados, tendo como base o atendimento aos requisitos de excelência direcionados pelo modelo”, destacou o coordenador.

Para implementação do novo modelo, os órgãos e entidades deverão aplicar um Instrumento de Maturidade da Gestão (IMG) por meio da constituição de comitês internos. Esse instrumento aponta requisitos que mensuram o nível de maturidade de gestão desses órgãos emitindo uma certificação, ao final da aplicação. “É com base nesse resultado que os órgãos irão aperfeiçoar suas práticas e a cada novo ciclo elevarem a qualidade da gestão desses recursos”, afirma.

Nesse contexto, Esaú ressaltou a importância do envolvimento dos servidores que tenham responsabilidade não só pelos projetos de captação de recursos em si, mas também daqueles que participam da instituição como um todo. “Se o modelo for implementado em determinado município, por exemplo, todas as secretarias finalísticas deverão ter representantes no comitê de aplicação. Se for implantado no âmbito de uma secretaria, todas as unidades de apoio como gestão de pessoas, tecnologia da informação e logística, devem participar. A governança deve acontecer no órgão como um todo”, enfatizou o coordenador.

O treinamento segue até hoje, finalizando as atividades da programação do 15º Fórum Regional de Fortalecimento da Rede+Brasil, em Rondônia.

Fonte: Oobservador