As previsões de produção de petróleo nos Estados Unidos estão sendo revisadas para cima, apesar de restrições de mão de obra e da cadeia de suprimentos, já que os preços mais altos estimulam mais atividades de perfuração e conclusão de poços, de acordo com especialistas do setor.

Os pedidos de mais oferta de petróleo estão sendo atendidos por mais produtores, uma vez que os preços nos EUA têm se situado acima de 100 dólares por barril, impulsionados pela invasão da Ucrânia pela Rússia.

A produção dos EUA terminará o ano com alta de 1,29 milhão de barris por dia (bpd), em 12,86 milhões de bpd, segundo a consultoria East Daley Capital. A estimativa atual representa um aumento de cerca de 300 mil bpd, ou 23%, ante o previsto em dezembro de 2021.

A maior parte do aumento anual projetado - 1,13 milhão de bpd - vem da Bacia do Permiano, a principal região produtora de xisto dos EUA. Na semana passada, a região contava com 332 plataformas de perfuração de petróleo, o número mais alto desde abril de 2020.

"Os preços do petróleo nos EUA estão mais altos em 30 a 40 dólares por barril" do que no final do ano passado e "as contagens de plataformas estão mais responsivas" a esse movimento de preços, disse AJ O'Donnell, diretor da East Daley Capital.

Os pedidos de licenças de perfuração atingiram 904 em março, uma alta mensal, que "reflete uma expansão robusta" para a perfuração horizontal no oeste do Texas e no leste do Novo México, disse a Rystad Energy.

As empresas de xisto também estão explorando poços perfurados mas incompletos, reservas que podem ser rapidamente adicionadas à produção. O número desses poços caiu em fevereiro para 4.372, o menor desde 2013, segundo dados dos EUA.

Por Liz Hampton - Reuters - Denver
Fonte: Agência Brasil