Usuários do SUS podem buscar ajuda nas unidades de saúde da capital

Porto Velho, RO - A partir desta semana, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Porto Velho estão preparadas para atender pessoas que sofrem com a dependência do tabaco e buscam tratamento para abandonar a prática.

Cleide Silva Davy, coordenadora municipal de Controle ao Tabagismo
Médicos e enfermeiros da rede municipal passam por uma capacitação para orientar e aplicar o melhor tratamento possível às pessoas que procuram as unidades. O treinamento, realizado pela manhã e à tarde, começou na segunda-feira (25) e termina nesta terça-feira (26), também no período da tarde.

“A partir de agora, nossas unidades terão esse serviço implantado. Os profissionais estão se qualificando para aplicarem o Protocolo Clínico de diretrizes terapêuticas e atenderem os usuários”, afirmou a Coordenadora Municipal de Controle ao Tabagismo, da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Cleide Silva Davy.

PROTOCOLO

Os profissionais aprendem os Protocolo Clínico e de Diretrizes Terapêuticas sobre como avaliar, orientar, planejar e tratar cada pessoa dependente da nicotina, uma das substâncias do tabaco e aplicar o tratamento medicamentoso.

Capacitação orienta os profissionais quanto ao tratamento dos dependentes

“Sabemos que o tabagismo é uma doença e também considerada transtorno mental, que precisa ter essa abordagem intensiva e comportamental, em seções estruturadas que passarão a ser realizadas dentro das unidades pelos profissionais”, disse a coordenadora.

Na prática, os profissionais de saúde aprendem a como implantar essa abordagem, a exemplo do que é feito com os que sofrem com o alcoolismo, uma vez que também podem ocorrer crises de abstinência entre os fumantes.

ATENDIMENTO

Ao chegarem nas unidades de saúde, os dependentes que procurarem ajuda vão passar por uma consulta prévia para avaliação. Após isso, serão submetidos a um teste para que seja detectado o nível da dependência do tabaco. “Com base nesses dados, será aplicado o tratamento mais adequado com os medicamentos disponíveis nas unidades”, explica Cleide Silva.

Tabagismo está ligado a diversas complicações na saúde

CONDUTA

Para a médica Paula Grabner Marques, da Unidade de Saúde José Adelino, o treinamento busca sanar todas as dúvidas, fazendo com que os profissionais adotem a conduta correta para o tratamento dos usuários. “É gratificante participar desse treinamento, especialmente nós que trabalhamos na atenção primária de saúde. Com isso, conseguimos saber qual o protocolo para atender, onde conseguir a medicação, qual a melhor forma de abordagem. Isso abre a mente de todos os participantes para fazer essa abordagem na unidade de saúde”, comentou.

TABAGISMO

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, ligado ao Ministério da Saúde, o tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco. A prática pode acarretar sérios danos à saúde do dependente, como o risco de desenvolvimento de cânceres, doenças pulmonares, impotência sexual, complicações para o feto no caso das gestantes, entre outras complicações.

Médicos e enfermeiros são capacitados para atuar no tratamento da doença nas unidades básicas de saúde







Fonte: Oobservador