Nesta terça-feira (3), o Chefe da facção criminosa denominada Primeiro Comando da Capital (PCC) chegou mais uma vez para cumprir pena na Penitenciária Federal de Porto Velho.

A transferência de Marco Willians Herbas Camacho, mais conhecido como Marcola ocorre justamente por motivos de segurança. Segundo o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), transferências rotineiras são essenciais para combater o crime organizado no país.


Reprodução: Redes Sociais/ Anderson Torres

Um forte aparato policial foi necessário para a transferência de Marcola. Pelo Twitter, o ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Anderson Torres, descreveu a transferência como, “minucioso planejamento”.

A transferência de Marcola para Porto Velho é ousada, e deve preocupar as forças de segurança. O país vizinho, a Bolívia é uma das rotas do tráfico internacional de cocaína. Em cálculos, a Bolívia fica apenas 200 quilômetros.

Marcola é condenado a mais de 330 anos de prisão e seus crimes são de tráfico de drogas, homicídio e formação de quadrilha. Em 2019, o Ministério Público descobriu que havia um plano cinematográfico para resgatar o criminoso. A facção ao qual ele lidera, tinha a intenção de fazer o uso de helicópteros, armas pesadas e até de mercenários.


Fonte: Newsrondonia
Texto: Anderson Nascimento