De acordo com o jornalista Jeremy Bowen, os jovens estariam recebendo um treinamento de apenas três dias antes de serem enviados ao front

Porto Velho, RO - O conflito resultante da ação militar russa na Ucrânia tem levado grupos de voluntários a pegarem em armas mesmo sem nenhuma experiência militar anterior. De acordo com o correspondente da BBC Jeremy Bowen, jovens de até18 anos estão recebendo um treinamento de apenas três dias antes de serem enviados à frente de batalha em diversas cidades do país.

Logo no início do conflito, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky proibiu que homens com idades entre 18 e 60 anos deixassem o país e se preparassem para integrar as forças de defesa do país. Nesta direção, os civis foram orientados a preparar coquetéis molotov enquanto outros foram treinados para arremessar os projéteis contra os veículos de assalto e as tropas russas. O Ministério da Defesa da Ucrânia também informou que distribuiu 25 mil armas para civis que desejassem defender seus bairros contra os soldados russos.

Em uma postagem no Twitter, o jornalista mostra jovens portando fuzis de assalto e com braçadeiras amarelas nos braços. As braçadeiras são um símbolo dos grupos ultranacionalistas e de extrema direita da Ucrânia e já são utilizados há anos pelas milícias paramilitares do leste do país. Estas milícias seriam as responsáveis pelo treinamento dos voluntários.

O uso da identificação reforça o argumento russo de que uma das principais razões para a ação militar e dos combates registrados estarem sendo travados contra estes grupos.

Confira a postagem de Jeremy Bowen sobre o assunto.


Fonte: Brasil247