Durante o cumprimento das cautelares expedidas pela justiça de Porto Velho, a Polícia Civil apreendeu um vasto material suspeito de serem frutos de receptação, durante a Operação Luz Vermelha, deflagrada pela Delegacia de Homicídios para prender o casal Luzanira Silva da Costa e Marcos Antônio de Souza, acusados de matar a proprietária de um bar, Marilda Pereira Escobar, 55 anos, na noite do dia 22 de novembro do ano passado, na região do Cai N’água, centro da capital.

Durante as buscas nos endereços, na capital, a Polícia encontrou câmeras de segurança, inclusive duas delas são suspeitas de terem sido furtadas do Tribunal de Justiça, maquinas caça-níqueis, dinheiro, arma de fogo, munição, muitos documentos.De acordo com a delegada que coordenada as investigações, Leisaloma Carvalho, uma verdadeira varredura foi feita pelos agentes civis, para cumprir os mandados de prisão e busca e apreensão, que vão auxiliar nas investigações do assassinato de Marilda.

Um homem foi preso pelo crime de porte ilegal de arma, após ser flagrado com uma pistola.

Os investigadores apreenderam ainda, remédios, que segundo a Polícia, podem ter sido usados para dopar clientes que frequentam os bares.

Os locais, alvos da operação, além de funcionarem como bares, funcionam também como pontos de prostituição. Um vasto material usado para manter relação sexual foi apreendido. Vários outros materiais de procedência duvidosa foram apreendidos.

Em um dos bares, os agentes encontraram uma porta giratória, com um detector de metal (foto).

Na parte interna dos bares, a Polícia constatou que havia quartos, todos com suíte, lavanderia.



Vídeo: após assassinato, Polícia identificou vários outros crimes na área central de Porto Velho; delegada explica


Vídeo: após assassinato, Polícia identificou vários outros crimes na área central de Porto Velho; delegada explica
Fonte: Rondoniagora