Ronildo Macedo na tribuna da Casa de Leis / Foto: Extra de Rondônia

Num discurso ácido na sessão ordinária desta terça-feira, 22, realizada na Câmara de Vilhena, o presidente da Casa, Ronildo Macedo (PV), chamou o prefeito Eduardo Japonês (PV) de “prefeitinho que gosta de mexer com a família”.

Ao usar a tribuna do Legislativo, o parlamentar disse que recebe ataques pessoais há muito tempo, mas que, agora, é a última vez que isso acontece. Ele se referiu a sua esposa que teria sido citada pelo prefeito.

“Mais uma vez, comprovamos que o prefeito de Vilhena é despreparado e gosta de vingança. Infelizmente, ele tenta destruir a pessoa que atravessa no caminho dele, a qualquer custo, mesmo que o custo seja mexer na família do próximo. Todo mundo sabe que estou com a Cris há dois anos e meses. Quando conheci, ela era secretária-adjunta municipal de Educação e foi na época do ex-prefeito Adilson (de Oliveira). Somos felizes e não tenho tempo de estar cuidando da família de ninguém”, explica.

Macedo continuou seu raciocínio, mandou recado e analisou a cassação do mandato de Japonês em julgamento ocorrido semana passada no Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE/RO): “Pela última vez, digo pra você, senhor prefeito: respeite a minha família. É muita pilantragem, muita sacanagem. Quem cassou o mandato do Japonês não foram os aliados, e sim foram os puxa-sacos. Não tem nenhum que não sabia que não poderia fazer campanha em horário de serviço. Então, senhor prefeito, vire homem, e vem falar comigo se tiver coisa pessoal porque não vou permitir nem ele e nem porcaria nenhuma mexer mais com a minha família. Nunca desrespeitei família de ninguém”, observa.

Ele rebateu acusações de suposta solicitação de cargos na prefeitura e disse que quem tenta negociar cargos com vereador é Japonês. “Quem negocia cargos é esse prefeitinho de quinta categoria. Não tenho medo dele. A justiça provou que ele não é o mais honesto do mundo. Quem tem telhado de vidro, não atira na dos outros. Os puxa-sacos, que só falavam o que o prefeito queria ouvir, ferraram a vida dele. Nós ajudamos na campanha porque pensamos que realmente era um cara que respeitaria os companheiros e que iria fazer muito por nosso município, mas está lá cheio de adversários na prefeitura. Aí ele fica falando de portaria. Mas se portaria fosse crime, então ele teria que pegar prisão perpétua porque tem 700. Vão aprender a me respeitar por bem ou por mal. Esse é o prefeitinho que gosta de mexer com a família, que gosta de ameaçar vereador. Me perdoem pelo desabafo”, encerrou.

No final do seu discurso, o vereador informou que protocolou a convocação, para a próxima sessão ordinária, do secretário municipal de Obras, Marcelo “Boca”, para que explique denúncias levadas ao Ministério Público sobre máquinas adquiridas pela prefeitura.


Fonte: Extra de Rondonia