Ji-Paraná - A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da Delegacia Repressão a Crimes Contra Vida de Ji-Paraná (Homicídios), concluiu (nesta semana) com definição de autoria o inquérito policial que apura a morte cruel de Ângela Maria Silva Duarte, ocorrida dia 05 de janeiro deste ano em Ji-Paraná-RO.

As investigações apontaram indícios de que o suspeito(que é vizinho da vítima) atraiu ela até a sua casa com o pretexto de vender uma pia. Os agentes apresentaram o relatório indicando que homem estuprou, matou asfixianda e escondeu o corpo da vítima em um guarda-roupas.

O laudo pericial concluiu pela presença de sêmen nas partes íntimas da mulher, além de sinais claros de asfixia e diversos ferimentos espalhados pelo pescoço e joelho.

Na tarde do mesmo dia, o companheiro de Ângela (que já desconfiava do vizinho) entrou na residência do suspeito com ajuda de um familiar e encontrou o corpo nu da mulher dentro de um guarda-roupas.

O homem foi preso preventivamente no dia 7 de janeiro, numa fazenda localizada na zona rural de Rondolândia (MT). O mesmo permanece preso.

A peça pré-processual foi encaminhada ao Ministério Público de Rondônia (MP-RO), que deve avaliar e apresentar denúncia ao Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO). A pena do estupro com resultado morte vai de 12 a 30 anos e ocultação do cadáver de 1 a 3 anos.


Fonte: Polícia Civil