Réus responderão por homicídios triplamente qualificados, ocultação de cadáveres, roubo circunstanciado e associação criminosa

PORTO VELHO, RO - 
O júri popular dos réus acusados da morte da família Gonçalves, encontrada carbonizada no ABC paulista no início de 2020, começou na manhã desta segunda-feira (21), às 10h, em Santo André (SP), segundo apuração da Record TV.

As acusações serão avaliadas por sete jurados, que vão decidir o destino dos cinco réus do crime, que ocorreu em janeiro de 2020.

Ana Flávia Gonçalves, Carina Ramos e os três outros presos responderão por crimes de homicídio triplamente qualificado – meio cruel, motivo torpe e sem chance de defesa às vítimas –, de ocultação de cadáver, roubo circunstanciado e associação criminosa.

Ana Flávia foi acusada de, junto da então namorada Carina, planejar o crime contra a própria família: Romuyuki e Flaviana Gonçalves, seus pais, e o irmão, Juan Victor, de 15 anos.

Além delas, os irmãos Juliano Oliveira Ramos Júnior e Jonathan Fagundes Ramos, primos de Carina, e Guilherme Ramos da Silva, vizinho e amigo dos dois, são acusados de ter participado do crime contra a família Gonçalves.

O julgamento ocorre de forma presencial, mas somente com as pessoas essenciais ao caso. Em respeito às restrições sanitárias pela pandemia de Covid-19, não haverá abertura ao público.


Fonte: R7