TCU impediu o procurador Júlio Marcelo de Oliveira de participar do processo alegando que ele seria admirador do ex-juiz da Lava Jato

Porto Velho, RO - O Tribunal de Contas da União (TCU) impediu o procurador Júlio Marcelo de Oliveira de participar do processo que investiga a relação de Sergio Moro com a consultoria Alvarez & Marsal, alegando que ele seria admirador do ex-juiz da Lava Jato. 

De quebra, blinda a apuração de fiscalização. E fica combinado assim: procurador no exercício das funções não pode, mas ministros do TCU ligados a políticos do MDB de péssima reputação e a Lula, todos tentando se vingar de Moro, podem.

Só ladrões o criticaram

O veto ao procurador faz parecer que o combate à corrupção liderado por Moro não tivesse arrebatado todas as pessoas de bem deste País.

Indelevelmente ladrões

A investigação do TCU tenta transferir para o ex-juiz a reputação de “ladrões” que Lula e seguidores, com todo mérito, levarão à sepultura.

Roubo é roubo

Ministros espalham que a consultoria teria pago R$30 milhões a Moro. Querem comparar honorários ao roubo de R$20 bilhões na era petista.

Sob domínio do mal

Ao menos um terço dos mais influentes ministros chegaram ao TCU pelas mãos de Renan Calheiros et caterva. Isso explica muita coisa.

Fonte: Por Cláudio Humberto