Professor da rede estadual, que atua em uma escola de Cuiabá, foi preso no final da tarde de quarta-feira (1), no Jardim Leblon, acusado de assediar sexualmente e aliciar 3 alunas, que estavam na escola acompanhadas dos seus responsáveis. As meninas têm 12, 14 e 15 anos.



Conforme o relato à polícia, a estudante de 14 anos teria ido ao banheiro e quando voltou, foi parada pelo professor, que a chamou em um canto e sussurrou aos seus ouvidos. Ele ofereceu R$ 50 para a menina tirar a blusa.



Em outro episódio de assédio, dessa vez contra a menor de 12 anos, o professor aproveitou que a aluna estava sentada na sala de aula, perguntou se ela estava fazendo a tarefa.




Ao responder que sim, o agressor colocou a mão no ombro da melhor e correu até os seios dela, voltando ao ombro novamente. A menor de 15 anos narrou um episódio parecido com o que aconteceu com a colega de 12 anos.



Além disso, ele vivia dizendo que a jovem era bonita e fazendo outros assédios. Professor foi chamado na escola, que estava tomada por estudantes e moradores da região, revoltados com o fato.



Lá, ele confirmou que teria feito apenas uma ‘brincadeira’ com a menor sobre oferecer dinheiro. Diante do fato, ele foi preso e encaminhado para a Delegacia da Mulher.



Outro lado"

"A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), por meio da Sucretaria Adjunta de Gestão de Pessoas, informa que de maneira imediata o professor foi afastado da escola Escola Estadual Tancredo Neves e sua lotação removida para Diretoria Regional de Educação de Cuiabá, enquanto responde os processos judicial e administrativo, de forma a preservar a integridade física do servidor e zelar pela estabilidade do ambiente escolar.



A Seduc reforça que, neste momento, as estudantes e as respectivas famílias já estão recebendo atendimento e orientação quanto aos procedimentos de saúde das crianças e adescentes. Quanto a comunidade escolar a Seduc já está disponibilizando atendimento psicossocial com ações de Saúde e Segurança do Trabalhador.

A Seduc se coloca à disposição para eventuais esclarecimentos."


FONTE