Bolsonaro citou o suposto inquérito durante entrevista no dia 4 de agosto. Também postou a íntegra do inquérito em redes sociais

Porto Velho, RO
- O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi intimado pela Polícia Federal (PF) para prestar depoimento sobre o inquérito que apura o vazamento de informações sobre um suposto ataque hacker aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 2018.


A intimação foi revelada pela coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, e confirmada pelo Metrópoles junto a uma fonte da PF.

Bolsonaro citou o suposto inquérito durante uma entrevista no dia 4 de agosto deste ano.

“Quem diz isso é o próprio TSE […], de que no período de novembro de 2018, o código fonte [das urnas] esteve na mão de um hacker. O código fonte estando na mão do hacker, ele pode tudo. Pode-se apertar 1 e sair o 3, pode-se apertar o 17 e sair nulo, pode-se alterar voto, fazer tudo”, alegou o presidente, em uma das incontáveis investidas para colocar em xeque a confiabilidade das urnas eletrônicas.

Em contrapartida, o TSE apresentou uma notícia-crime contra o presidente da República para que a apuração seja analisada no âmbito do Inquérito das Fake News, sob relatoria do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.


Os ministros do TSE também pediram que seja investigado pelo mesmo crime o deputado federal Filipe Barros (PSL). Barros foi relator da PEC do Voto Impresso na comissão especial da Câmara e acompanhou o presidente na apresentação das denúncias à rádio Jovem Pan.


Bolsonaro também postou a íntegra do inquérito em suas redes sociais. Na época, a Polícia Federal chegou a abrir um inquérito para apurar uma suposta invasão a sistemas internos do TSE por hackers.
conteúdo patrocinado

A revelação da invasão na intranet da Corte foi feita pelo site TecMundo, especializado em notícias de tecnologia. O portal disse que recebeu mensagens de hackers narrando como conseguiram invadir sistemas internos da Corte.

A reportagem, no entanto, não fala em invasão a urnas.


Fonte: Metrópoles