Programa Auxílio Brasil. Foto: Marcello Casal Jr/ABr

Porto Velho, RO - Decisão do presidente Jair Bolsonaro neutralizou a mudança na PEC sem Precatórios, que foi aprovada no Senado sob a condição de que os recursos sejam aplicados apenas em programas sociais. A oposição falou tanto em “evitar outro destino a não ser o Auxílio Brasil”, que acabou dando ideia a Bolsonaro de aumentar o valor do benefício para R$415 e elevar os gastos do programa para R$90,5 bilhões em 2022. Quase todo o espaço fiscal criado pela PEC vai para o Auxílio Brasil.

O maior do mundo

A Câmara vota hoje (14) mudanças aprovadas no Senado. A PEC vai permitir a Bolsonaro pilotar o maior programa social do mundo.

Guedes já formalizou

Após a decisão de Bolsonaro, Paulo Guedes informou a reestimativa do programa ao relator-geral do Orçamento, Hugo Leal (PSD-RJ).

Cuidado burocrático

A reestimativa foi sugerida por ofício de Guedes, e não por mensagem presidencial, porque o relatório de Leal já fora aprovado na comissão.

Pobres atendidos

A novidade de Bolsonaro considera a inclusão de famílias elegíveis e a mudança nas linhas de pobreza e extrema pobreza previstas na PEC.