Corporações foram atingidas por investida criminosa contra servidores do governo federal em 10 de dezembro

Porto Velho, RO - Um ataque cibernético derrubou o sistema interno da PF (Polícia Federal) e da PRF (Polícia Rodoviária Federal). De acordo com informações obtidas com exclusividade pelo R7, dados de policiais com dívida ativa com a União foram apagados durante a investida criminosa.

As equipes de segurança do governo acreditam também que informações de condutores cadastrados em bancos de dados das corporações tenham sido excluídas.

As corporações foram atingidas no dia 10, em meio a ataques a diversos órgãos do governo que tiveram como alvo principal o Ministério da Saúde. De acordo com fontes policiais ouvidas pela reportagem, os sistemas permanecem fora do ar e os dados ainda não foram recuperados.

"Saiu na mídia que os dados não foram afetados. Mas percebemos que muita coisa foi excluída. Existe a expectativa de que tudo volte hoje à tarde, mas ainda não se sabe se o que foi perdido será recuperado", diz uma fonte anônima que integra a área policial.

O problema impacta o trabalho de milhares de policiais em todo o país, principalmente quem atua na área administrativa e precisa levantar informações para direcionar ações, investigações e fiscalização de entradas e pessoas. A suspeita é que tenha ocorrido um ataque do tipo ransomware, em que os criminosos sequestram informações do sistema.

Os dados roubados estariam em duas redes de servidores. O problema tira do ar o Sistema Eletrônico de Informações do governo federal. As investigações, até o momento, não chegaram aos autores das ações nem identificaram a localização dos atacantes.

A suspeita é que o crime tenha partido de algum servidor que atua no governo e tem acesso privilegiado ao sistema — o que facilita a exclusão de informações e o comprometimento do sistema.

A PRF e a PF foram procuradas para se posicionar sobre o caso, mas ainda não deram retorno.


Fonte: R7