Webnário capacita profissionais de saúde para enfrentamento ao tabu relacionado aos exames de prevenção ao câncer

Webnário vai discutir ações em saúde de apoio à campanha “Novembro Azul”

Porto Velho, RO - Os profissionais que atuam na Rede de Atenção Primária nos 52 municípios do Estado vão participar, na próxima quinta-feira (18 ) do webnário realizado pelo Governo de Rondônia, em parceria com a Coordenadoria Estadual de Atenção Integral à Saúde do Homem, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), para discussão das ações em saúde de apoio à campanha “Novembro Azul” e debater temas como o fim do preconceito dos homens irem às unidades de saúde da família em busca de exames preventivos contra o câncer de próstata.

Já estão confirmadas as presenças de palestrantes como o mestre e doutor do Instituto do Coração de Rondônia e coordenador do Serviço de Ecografia do Hospital de Base Ary Pinheiro (HBAP), Raitany Costa de Almeida; e o doutor em Saúde Coletiva e técnico da Coordenação de Saúde do Homem do Ministério da Saúde (MS), Fernando Pessoa de Albuquerque; além de outros especialistas.

A coordenadora Estadual de Atenção Integral à Saúde do Homem da Sesau, Cremilda Queiroz da Silva, explicou que, embora, o câncer de próstata não seja a maior causa de mortes pela doença, no Estado, é necessário ficar atento à política nacional de atenção ao homem, criada pela Portaria 1944, de 27 de agosto de 2009.

No Hospital de Amor Amazônia (HAA), desde o dia 4 de outubro, equipes multifuncionais atuam na avaliação e realização de exames de prevenção contra o câncer de próstata e outras neoplasias.

De acordo com a coordenadora do Setor de Prevenção do HAA, Andressa Figueiredo, agora todo dia, a instituição abre as portas para recepcionar homens e mulheres interessados em fazer avaliações e exames preventivos de imagens e laboratoriais que ajudam na prevenção contra o câncer.

“Manteremos apenas o simbolismo do Outubro Rosa e do Novembro Azul aqui no hospital. Mas o atendimento será permanente”, acrescentou Andressa.

Já o Ministério da Saúde, emitiu nota técnica recomendando aos estados e municípios a realização de ações que incentivem homens com idade entre 20 e 59 anos irem aos postos de saúde da família realizar exames de rotina com maior regularidade, a fim de se prevenirem contra as doenças que podem causar o câncer de próstata e outros.


Embora o câncer de próstata não seja o que mais mata em Rondônia, atrás, portanto, das causas externas, como acidentes, violência e suicídios e de doenças do aparelho circulatório, digestivo e respiratório, é preciso aproveitar a campanha “Novembro Azul” para conscientizar a população masculina e também recomendar a realização de consultas e exames de rotina o ano inteiro.

A campanha “Novembro Azul” ganhou importância como estratégia de conscientização sobre os cuidados integrais com a saúde do homem e todos os anos, no mês de novembro, 21 países, incluindo o Brasil, preparam campanhas sobre prevenção e diagnóstico do câncer de próstata, e divulgam informações sobre a prevenção e promoção aos cuidados integrais com a saúde masculina.


Homens devem receber orientações corretas antes de iniciar tratamento

Dentre as causas externas, a hipertensão arterial é o principal fator de risco para mortalidade masculina ao redor do mundo e a terceira causa que mais contribui para incapacidade. “Temos que garantir o acesso desses homens na atenção primária de saúde para evitar que eles sobrecarreguem o atendimento hospitalar. Se eles chegarem até lá, já devem ter sido orientados”, disse a coordenadora Cremilda Silva.

A organização do cuidado, por meio das Redes de Atenção à Saúde (RAS) é o modelo adotado no Brasil, sendo apoiada pelo Governo Federal que editou o Decreto 7.508 e a Portaria 4.279, ambos de 2011, recomendam aos gestores estaduais e municipais garantir o acesso da população masculina ao cuidado integral à saúde em todos os níveis de atenção do Sistema Único de Saúde (SUS).

As doenças diagnosticadas em homens, com a realização de consultas e exames de rotina, podem ser evitadas por meio de orientações médicas e hábitos saudáveis durante a vida. Caso, por exemplo, das doenças do aparelho circulatório e das causas de mortalidade por neoplasias (câncer), registradas entre a população masculina de 20 a 59 anos. As causas externas chamam a atenção por se constituírem nas principais causas de mortalidade nesta faixa etária. Por isso, estão sempre incluídas nos debates da Saúde Pública.


CÂNCER DE PRÓSTATA

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam, no entanto, para 65.840 novos casos de câncer de próstata a cada ano, entre 2020 e 2022. Homens com mais de 55 anos, com excesso de peso e obesidade, estão mais propensos à doença.

Outro ponto em relação à saúde do homem envolve o câncer de pênis que, em alguns casos, envolve a amputação do membro masculino. Estimativa do INCA é de que ocorram 1.130 novos casos da doença neste ano de 2021. Os principais fatores de risco são higiene íntima inadequada e infecção por HIV.

Postar um comentário

0 Comentários