Quase 200 milhões de doses de vacina Covid-19 devem ser entregues ao Ministério da Saúde até dezembro


Previsão é que Governo Federal receba, dos laboratórios contratados, 61,8 milhões de doses em novembro e 136,7 milhões em dezembro

Com queda no número de casos e óbitos por Covid-19, a maior Campanha de Vacinação do Brasil segue fazendo história. Até o fim de dezembro, o Ministério da Saúde deve receber mais 198,5 milhões de imunizantes. Publicado nessa quarta-feira (3), o documento que mostra o cronograma de entregas dos laboratórios contratados prevê a chegada de 61,8 milhões de doses em novembro e 136,7 milhões em dezembro.

Os imunizantes servirão para ampliar ainda mais os resultados expressivos da Campanha de 2021. Até o momento, mais de 334,9 milhões de doses de vacina foram distribuídas à população brasileira. E, dessas, 276,4 milhões foram aplicadas.

Com a ampla vacinação, o Brasil assiste hoje a um cenário pandêmico bem mais arrefecido com queda no número de casos, óbitos e internações. No último boletim epidemiológico da doença divulgado nessa quarta-feira, a média móvel de óbitos, registrada em 286, caiu 17,70% se comparada com a média de 14 dias atrás.

O ministro Marcelo Queiroga comemorou a nova previsão de entregas. “A gente já avançou muito na campanha de vacinação e os resultados estão aí, mostram que seguimos no caminho certo. Nosso compromisso sempre foi fazer uma campanha de sucesso. Essas vacinas vêm para ampliar ainda mais nossa campanha. Até o fim de novembro, a previsão é que sejam 20 milhões da AstraZeneca, 34,4 milhões da Pfizer e 7,8 milhões da Janssen”, afirma.

Das mais de 276,4 milhões de doses aplicadas, 155,2 milhões de brasileiros tomaram a primeira doses da vacina e 121,1 estão completamente vacinados com a segunda dose ou dose única do imunizante. Os números revelam que 87,7% do público-alvo (que corresponde a 177 milhões de brasileiros) já estão com a primeira dose e 68,4% completaram o esquema vacinal. O número de pessoas que tomaram a dose adicional ou de reforço chega a 8,2 milhões.

Ministério da Saúde

Postar um comentário

0 Comentários