OPERAÇÃO BASALTO - Operação mira servidores da Secretaria de Obras de Porto Velho



Porto Velho, RO - A Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Draco 1) deflagrou na manhã desta quinta-feira (25), a fase ostensiva da “Operação Basalto”, para cumprir 20 medidas cautelares de busca e apreensão em casas de servidores públicos da capital e ainda na Secretaria Municipal de Obras (Semob) do Município.

A operação conta com o apoio do Departamento de Estratégia e Inteligência da Polícia Civil, Departamento de Polícia Especializada e da Gerência de Administração e Finanças.


A ação é resultado da investigação para identificar integrantes de uma associação criminosa formada por servidores públicos lotados na Semob, que estavam comercializando insumos (cascalho, pedra brita, bota-fora), utilizados na correção e asfaltamento de vias urbanas, além de utilizarem as máquinas públicas para prestação de serviços a particulares, cobrando valores por essas atividades.


Foram identificadas algumas lojas de materiais de construção e diversos particulares que adquiriam esses insumos desviados e comercializados, bem como contratavam os “serviços” prestados pelos investigados, que também responderão pelos crimes praticados.


Durante as investigações foi constatado que os investigados recebiam os valores relativos à venda dos insumos por meio de pix e até mesmo por máquina de cartão, já que alguns servidores tinham equipamentos para essa forma de pagamento.


Nesta quinta-feira estão sendo realizadas buscas nas residências dos investigados e na Semob, visando recolher provas constantes do inquérito e identificar outros servidores que eventualmente façam parte do esquema criminoso, bem assim visa cessar a prática dos crimes.

A operação conta com o apoio de 77 policiais civis. Foram identificados um total de 19 investigados.

O nome da operação, Basalto, foi inspirado nas espécies e finalidades dos insumos que eram desviados e comercializados pelos investigados.

Postar um comentário

0 Comentários