Operação Amazônia apreende máquinas e aplica R$ 5,1 milhões em multas


Ação das equipes de fiscalização durou 10 dias nos municípios de Rondolândia, Alta Floresta, Apiacás e Nova Bandeirantes

Porto Velho, RO - Durante mais uma etapa da Operação Amazônia, realizada em quatro municípios das regiões norte e noroeste do Estado, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) aplicou multas que totalizam R$ 5,1 milhões. Os fiscais também recuperaram 11,5 metros cúbicos de madeira serrada da espécie castanheira, cuja extração é proibida.

O valor é referente a autuação de cinco propriedades que realizaram desmatamento ilegal, em área de reserva legal ou de preservação permanente nos municípios de Rondolândia, Alta Floresta, Apiacás e Nova Bandeirantes. Foram apreendidos: seis tratores, oito motosserras, um caminhão, uma caminhonete, um grupo gerador e uma serra. Foram embargados 1.506,73 hectares do Bioma Amazônia, em áreas em que foi constatado o desmatamento ilegal.

A operação durou 10 dias, entre 19 e 29 de outubro, e utilizou o satélite de alta precisão Planet para identificar as alterações da vegetação no estado. O sistema de monitoramento apontou 68 alertas de desmatamento, que possibilitaram a identificação e a fiscalização in loco da área.

O serviço permite o monitoramento ambiental preventivo, com detecção em tempo real e imagens de alta resolução espacial, que geram alertas semanais de desmatamento
A ação foi organizada pela Coordenadoria de Fiscalização Flora da Sema com apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).

Operação Amazônia

O Estado aplica multas, embarga áreas e apreende equipamentos e maquinários utilizados na ação criminosa, descapitalizando os infratores para evitar a reincidência. Atualmente, em parceria com o Ministério Público do Estado (MPE) e Ministério Público Federal (MPF), quem desmata ilegalmente responde também nas esferas criminal e civil, além de processo administrativo.

A operação Amazônia integra órgãos estaduais e federais, sob coordenação da Sema-MT, para coibir crimes ambientais, monitorar e fiscalizar mudanças na vegetação, promover o embargo de áreas, apreensão e remoção de maquinários flagrados em uso para o crime, e a responsabilização de infratores.

Integram a iniciativa as Secretarias de Estado de Meio Ambiente, de Segurança Pública, o Exército Brasileiro, Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

Fonte: Da Redação DC, 05/11/2021

Postar um comentário

0 Comentários