O pequeno Kaio Gabriel posando com os policiais federais. Foto: Comunicação Pró-Saúde


Porto Velho, RO - A parceria com o hospital já dura quatro anos; o evento, alusivo ao Dia Nacional de Combate ao Câncer infantojuvenil, visa conscientizar sobre a doença e estimular o diagnóstico precoce

“Toda vez que eu passava no ônibus vindo da minha cidade para fazer tratamento em Belém, via os policiais rodoviários e queria ficar perto deles para fazer fotos”, contou Raylane de Freitas, que teve seu desejo realizado no evento “Policiais Federais contra o câncer”, ocorrido na última sexta-feira (26), no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém.

A adolescente, de 14 anos, natural do município de Tailândia, na região Nordeste do Pará, está em tratamento há 11 meses contra uma leucemia na unidade, que pertence ao Governo do Pará e é gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde. “Fiquei muito feliz, pois conversei com eles, subi na moto da polícia e fiz muitas fotos. Eu tenho um sonho de ser policial”, declarou a jovem.

A mãe da paciente, Gerusa de Freitas, de 38 anos de idade, ficou emocionada com o evento. “Fiquei feliz de ver o desejo da minha filha sendo realizado. Estamos nessa luta, que não é fácil, mas vamos vencer. Que essa ação possa continuar”, comentou.

Já o pequeno Kaio Gabriel Oliveira, de seis anos de idade, natural do Município de Uruará, na Região da Transamazônica, estuda na Classe Hospitalar do Oncológico Infantil e faz tratamento há cinco anos contra uma leucemia. Ele ficou super empolgado durante toda a programação do evento. O menino recebeu das mãos de um policial rodoviário uma réplica de distintivo.

"Gostei muito de entrar no carro, foi emocionante", expressou o pequeno, após a oportunidade de entrar numa viatura da polícia e ter passado uma mensagem especial ao público presente. "Eu faço tratamento aqui há cinco anos e também estudo na classe. Doe sangue e medula óssea para as crianças", falou Kaio.

O projeto “Policiais contra o Câncer Infantil” é uma iniciativa da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Estado do Pará. O evento nacional tem como objetivo estimular ações de assistência à criança com câncer, além de reforçar as orientações sobre os sintomas da doença e a importância do diagnóstico precoce para um tratamento com maiores possibilidades de cura.

O grupo ‘Mãos que ajudam’, que integra o Programa de Voluntariado da Pró-Saúde, formado somente por mulheres artesãs das cidades de Belém, Ananindeua e Marituba, contribuiu com o evento e fez doação de toucas a crianças em tratamento oncológico.

Os policiais rodoviários federais realizaram ainda visitas em algumas unidades de internação do Oncológico Infantil, para a entrega de kits de jogos educativos e materiais de pinturas às crianças.

O Oncológico Infantil é uma unidade de referência no diagnóstico e tratamento especializado contra o câncer infantojuvenil no Norte do país, atendendo a crianças e adolescentes de municípios do Pará e Amapá, com atendimento 100% gratuito via Sistema Único de Saúde (SUS).

Compareceram ao evento cabelereiros, grupos de voluntários de ações socioeducativas e representantes de instituições. No local, foram realizadas atividades lúdicas, apresentação de cães farejadores, visitação às viaturas e motocicletas da PRF, além de doação de kits de higiene para a Casa do Menino Jesus, entidade filantrópica que oferece apoio às crianças e aos adolescentes de outras regiões em tratamento em Belém.

As crianças em tratamento tiveram a oportunidade de pegar as máquinas e fazer a raspagem de cabelo dos policiais e de civis, proporcionando momentos de interação e alegria.

Lorena Portal, diretora Assistencial do Hospital Oncológico Infantil, frisou a relevância da iniciativa. “Existe a necessidade de se discutir o tema do combate ao câncer com toda a sociedade e as famílias. Esta parceria está em consonância com o que nós, como instituição de cuidado oncológico, sempre ressaltamos, que quanto mais cedo o diagnóstico do câncer infantil, maiores as chances de cura”, destacou a diretora.

“É muito gratificante para nós desenvolvermos esta ação em conjunto, com o apoio de diversas instituições no combate ao câncer infantojuvenil. Quando se fala em combater, é dizer que a sociedade precisa replicar a informação da importância do diagnóstico precoce, pois ajuda a salvar vidas de crianças”, pontuou o Superintendente Executivo da Polícia Rodoviária Federal no Pará, Mauro Bastos.


A paciente Raylane teve seu desejo realizado no evento. Foto: Comunicação Pró-Saúde

Excelência

Uma das marcas do hospital, desde a sua inauguração, em 2015, é a oferta de um atendimento diferenciado, pautado nos princípios da Política Nacional de Humanização. O hospital possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade sem fins lucrativos, integrada a uma rede mundial que analisa a qualidade dos hospitais.

O selo é um dos mais importantes aplicados no Brasil, e, na prática, significa que o hospital segue padrões internacionais de qualidade e segurança assistencial dedicados aos pacientes.

Fonte e fotos: Comunicação Pró-Saúde.