Depois de cinco altas, setor de serviços recua 0,6% em setembro

Segmento de transportes registrou o pior resultado desde abril de 2020, com queda de 1,9% na comparação com agosto


Em setembro de 2021, o setor de serviços no Brasil caiu 0,6% ante agosto, na série com ajuste sazonal.

A PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), vinha de cinco altas consecutivas até agosto.


Na série sem ajuste sazonal, em relação ao mesmo mês de 2020, o volume de serviços avançou 11,4%, sua sétima taxa positiva consecutiva.

O acumulado no ano está em 11,4%. O acumulado em 12 meses chegou a 6,8%, a maior taxa da série histórica, iniciada em dezembro de 2012.

Quatro das cinco atividades investigadas pelo IBGE tiveram índices negativos, com destaque para os transportes (-1,9%), que registraram o resultado negativo mais intenso desde o de abril de 2020 (-19%). Os demais recuos vieram de outros serviços (-4,7%), de informação e comunicação (-0,9%) e de serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,1%). O único resultado positivo ficou com os serviços prestados às famílias (1,3%), o sexto avanço seguido, período em que acumularam alta de 52,5%.


Postar um comentário

0 Comentários