Representantes do Conselho Estadual de Direitos da Mulher de Rondônia recebem posse por videoconferência

Representantes do Conselho Estadual de Direitos da Mulher de Rondônia recebem posse por videoconferência

Porto Velho, RO – Mesmo diante de um cenário de pandemia com aplicação do distanciamento social, o trabalho da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seas) não parou. Nesta terça-feira (19), o Conselho Estadual de Direitos da Mulher (CEDM) realizou a posse e primeira eleição para o biênio 2020/2022 por meio de videoconferência, algo nunca antes realizado, já que as eleições ocorriam sempre de forma presencial.

Ao todo, 24 mulheres, sendo 12 conselheiras e 12 suplentes foram empossadas através do Decreto nº 25.006, de 5 de maio de 2020, representando órgãos governamentais e da sociedade civil. A entidade União Brasileira de Mulheres (UBM) ganhou a eleição para presidência do conselho, e a Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) assumiu a vice-presidência do CEDM.

A secretária-adjunta da Seas, Liana Silva, destacou a importância do conselho como política que assegura a aplicação do direito da mulher. “Vamos atuar de perto com as novas conselheiras para que os direitos das mulheres sejam efetuados. Com a pandemia, nos readequamos, e fortalecemos ainda mais nosso trabalho”, enfatizou.

INVESTIMENTOS NA PROTEÇÃO DA MULHER

O diálogo com diferentes órgãos e entidades da sociedade civil tem sido constante, visando proteger a mulher em vulnerabilidade social, seja em casa com a violência doméstica, ou no meio social com o advento da pandemia, inimigo invisível que tem feito vítimas no mundo todo.

A Seas investe fortemente em políticas sociais relacionadas à proteção da mulher. Em 2019, por exemplo, foram destinados cerca de R$ 700 mil para o projeto “Mulher Segura”, que, em parceria com a Sesdec, destinou novos veículos para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), além de equipamentos para a Central Estadual de Monitoramento de Medidas Protetivas de Urgência, que será inaugurada na capital Porto Velho.

Nesse mesmo ritmo de combate à violência doméstica e à pandemia, a Seas recebeu material de divulgação do Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos para desenvolver a “Campanha Vigilância Solidária para Condomínios e Vizinhos”, a “Cartilha Mulheres na Covid-19”, com dicas simples e acessíveis sobre saúde, violência e empregos durante a pandemia, bem como um “Guia Rápido de Primeiros Socorros para Prevenção de Acidentes Domésticos”, materiais que serão distribuídos aos municípios.

ENTENDA O PAPEL DO CONSELHO

Criado em 23 de junho de 2015, o Conselho Estadual de Direito da Mulher busca fortalecer as políticas públicas voltadas às mulheres, eliminando a discriminação e assegurando condições de liberdade, igualdade e participação ativa na sociedade, articulando, dessa forma, ações junto à Seas, para que as políticas sejam efetivadas na prática.

“Essas mulheres eleitas, conselheiras e suplentes, vão nos ajudar a alcançar outras tantas mulheres que precisam de apoio e proteção”, ressaltou a secretária-adjunta Liana Silva.

Participou também da reunião, a promotora de justiça da 36ª Promotoria de Violência Doméstica e Familiar de Porto Velho, Tânia Garcia Santiago.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA