Programa que dissemina a cultura empreendedora e inovação no País abre inscrições para parcerias em Rondônia

Reunião prévia com a presença do representante da Finep do Governo Federal para alinhamento do Programa Centelha II

Porto Velho, RO – O Governo do Estado, por meio da Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero) está com chamada aberta até o dia 23 de setembro, para as instituições parceiras do projeto Centelha II.

Para o presidente da Fapero, Leandro Soares Moreira Dill, o Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no Brasil. “Acreditamos que podemos trilhar um caminho para o desenvolvimento acelerado do nosso estado através da ciência, tecnologia, inovação e empreendedores que consigam transformar suas idéias inovadoras em empreendimentos de sucesso,” explica Leandro.

Neste primeiro momento o objetivo é formar uma rede de instituições parceiras, que tenham interesse em participar e que possam contribuir com sua expertise na execução do programa. “As contribuições serão a título de serviços com a cedência de mentores especializados em diversas áreas como a de orientações financeiras, contábeis, tributárias, jurídicas e técnicas. Outra forma de contribuir é com a divulgação do programa, captação de investidores, realização de eventos dentre outros,” destaca o presidente.

Além disso, Leandro Moreira Dill evidencia que de acordo com o perfil de parceria, juntamente com estudos do setor econômico e científico, serão estabelecidas as linhas de prioridade para realização do programa centelha, “sendo o sucesso do programa o resultado das ações cooperadas dos atores do ecossistema de inovação e da força de sua rede de parceiros,” complementa.

De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) a Rede de Parceiros é composta por instituições de diferentes esferas, tais como academia, empresas, governo, sociedade organizada e mecanismos de inovação em geral. São exemplos dessas instituições as universidades, incubadoras, aceleradoras, coworkings, comunidades de startups, associações comerciais, federações industriais, escolas técnicas, empresas juniores, parques tecnológicos, prefeituras, fundos de investimento, entre outras. Além disso, pessoas físicas também podem atuar como um Agente Centelha, independente de seus vínculos institucionais.

“No meu entendimento, iniciativas como o projeto Centelha é um dos melhores caminhos para um desenvolvimento acelerado do nosso Estado, porque não existe crescimento e desenvolvimento sem ciência, tecnologia, inovação e empreendedores que consigam transformar suas ideias em empreendimentos de sucesso, gerando um desenvolvimento tecnológico para o Estado, criando novas empresas, com surgimento de mais empregos e um crescimento para a economia”, garante Eliezer Matheus Trombini, diretor de Inovação do Programa Centelha, complementando que “o programa está em fase de captação de ideias de empreendedores que estimulem solucionar este gargalo tecnológico que o Estado apresenta. Posteriormente, iremos divulgar as novas fases para colocar em pratica a dinâmica do processo”.

No Estado de Rondônia, a chamada para formação da rede de parceiros estará aberta até o dia 23 de setembro, por meio do preenchimento do formulário de inscrição para o projeto Centelha II através do link: https://forms.gle/zgGpFpckMGinrNhp6

“Durante o preenchimento do formulário o parceiro irá se atentar ao preenchimento dos dados cadastrais da instituição e a escolha das opções que correspondam a forma como a instituição pode contribuir com o movimento de cultura empreendedora no Estado. Após a revisão das informações é só enviar os formulário,” descreve o presidente da Fapero, Leandro Soares Moreira Dill.

Podem participar pessoas físicas que atendam às exigências do edital ou empresas com faturamento anual bruto de até R$ 4.800.000 (quatro milhões e oitocentos mil reais) criadas e formalizadas a partir do Programa ou com até 12 meses da criação da empresa, contado a partir do lançamento do edital.

O programa irá oferecer capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso. A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e operada pela Fundação CERTI.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA