Manual Estadual de Dimensionamento de Força de Trabalho desenvolvido pela Superintendência Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic) do Governo de Rondônia, aplicado na pasta desde 2019, trouxe como resultado o emprego correto da mão de obra qualificada com redução de gastos, criando assim condição para contratar mais servidores sem comprometer metas.

Conforme o coordenador de Gestão de Estratégia da Setic, David Lucas da Silva, o manual detém ferramentas e metodologias capazes de gerar economia e ao mesmo tempo aumentar a qualidade da prestação de serviços à população, de tal forma que não haja ociosidade e nem sobrecarga dos servidores do Estado.

‘‘Realizamos as alocações propostas no estudo e com isso conseguimos realocar o recurso que era gasto com esses servidores, para contratação de servidores à Gerência de Infraestrutura e Desenvolvimento, sem comprometer as entregas”, afirma David Lucas da Silva.

As ferramentas e metodologias contidas no manual são consideradas essenciais pela Coordenação para alcançar a eficiência no uso dos recursos públicos, ainda mais necessária no momento de crise financeira vivenciada pelos entes federativos devido à pandemia da Covid-19.

Para a elaboração do manual, a Setic fez um levantamento bibliográfico para identificação de publicações com o tema do “Dimensionamento da Força de Trabalho”, assim como dos resultados da aplicação da metodologia em outras empresas ou órgãos públicos para compreender a efetividade.

A aplicação da metodologia do manual de Dimensionamento da Força de Trabalho é dividida em quatro fases

A aplicação da metodologia do manual de “Dimensionamento da Força de Trabalho” é dividida em quatro fases: Entendendo o negócio (1ª fase), onde se deve conhecer e compreender a organização como um todo; Mapeamento de processo (2ª fase), para mapear o processo de ponta a ponta com os atores que entendem do processo, coletando informações para subsidiar a mensuração; Mensuração da Força de Trabalho (3ª fase), que é a elaboração do cálculo com a mensuração do tempo médio, fator de fadiga, horas produtivas e improdutivas para o dimensionamento da força de trabalho; e a 4ª e última fase, a de análise crítica das informações quantitativas e qualitativas, no qual o diagnóstico apresenta o resultado.

‘‘Com a vinda da nova gestão, no início de 2019, o superintendente solicitou a realização do estudo de Dimensionamento da Força de Trabalho (DFT) nas unidades da Gerência Administrativa e Assessoria de Projetos Especiais, o que gerou decisões por parte dos gestores que resultaram em economia à organização e maior investimento em pessoal para suas áreas fins’’, explica David Lucas.

Conforme o manual, instituições públicas e privadas têm percebido que uma equipe com as competências certas, nos locais certos e realizando as atividades certas tem muito mais chances de levar uma organização a alcançar seus objetivos, sua visão e sua missão. Na Setic, as medidas contribuíram para maior qualidade na prestação de serviços à população por meio de serviços de infraestrutura em logística de tecnologia e em sistemas corporativos dentro do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui