A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) iniciou no município de Vilhena um projeto de plantio de abacaxis no Centro de Ressocialização Cone Sul, que vem trazendo bons resultados ao trabalho de reintegração social desenvolvido pelo Governo de Rondônia, que tem como principal objetivo reduzir os índices de reincidência no sistema prisional.

De acordo com o diretor da unidade prisional, Dirceu Martini, atualmente, 30 reeducandos estão envolvidos nos projetos de reinserção social. Em 2020, o projeto de cultivo de hortaliças, verduras e legumes, alçou voo para além das fronteiras da unidade e ganhou espaço na sociedade vilhenense, fomentando o bom resultado entre os internos, fato que contribuiu com o engajamento de mais reeducandos na execução do projeto.

Para a preparação do solo e do espaço selecionado para o plantio, boa parte da área que cerca o Centro de Ressocialização foi limpa pelos reeducandos, aumentando a segurança com a melhor visualização dos arredores da unidade.

Juntamente com o projeto da horta, foram plantadas milhares de mudas de abacaxi e estima-se que, para este ano, mais de 6 mil unidades da fruta serão colhidas pelos reeducandos. O diretor enfatiza que, para 2022, serão mais de 80 mil abacaxis e a colheita atenderá primeiramente à unidade, mas serão feitas doações às entidades filantrópicas e a comercialização do fruto, sendo que a verba será revertida para a manutenção da própria unidade.

Para exercerem as atividades de ressocialização, os reeducandos são selecionados a partir de uma criteriosa classificação. “Temos uma comissão que os avalia de acordo com o bom comportamento e reincidências. Depois de selecionados, iniciam atividades laborais do lado de fora da unidade, onde ficam as áreas de plantio”, explica Martini.

Diretor-geral do Centro de Ressocialização, Dirceu Martini juntamente com o secretário executivo regional, Nilton Cordeiro

As ações realizadas pelos reeducandos, além do cunho educativo também permitem a remissão de pena. A cada três dias trabalhados, é possível reduzir um dia de pena. “Essa ação gera um reflexo positivo dentro do grupo, pois motiva aqueles que ainda não passaram pela classificação. Além do trabalho, os reeducandos também participam de estudos e cursos profissionais”, enfatiza o diretor.

A Sejus, em parceria com o Instituto Federal de Rondônia (Ifro) campus Colorado do Oeste vem ofertando aos reeducandos o curso de Auxiliar Agrícola. “Oferecer novos caminhos através de cursos profissionalizantes é proporcionarmos a estas pessoas oportunidade de inclusão social através da profissionalização”, destacou o secretário executivo regional do Cone Sul, Nilton Cordeiro. Nilton explicou ainda, que oferecer trabalho e capacitação é uma das ações fomentadas pelo governador, coronel Marcos Rocha, que sempre defendeu a ideia de que a ressocialização é perfeitamente possível através do trabalho e do acesso à capacitação profissional.

O projeto de cultivos recebe o apoio do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) e da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), além das secretarias municipais de Agricultura (Semagri) e Obras (Semosp), bem como da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Emater e empresários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui