Indicado para o DER é sabatinado pela Comissão de Transportes e Obras Públicas

Elias Rezende, escolhido pelo governador Marcos Rocha, foi questionado pelos parlamentares

Porto Velho, RO – A Comissão de Transportes e Obras Públicas (CTOP) da Assembleia Legislativa, se reuniu de forma extraordinária, na tarde desta terça-feira (16), no plenário e através de videoconferência, para sabatinar Elias Rezende, indicado pelo governador Marcos Rocha (PSL) para ocupar o cargo de diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagens (DER).

A audiência foi presidida pelo deputado Luizinho Goebel (PV) por videoconferência. Também online estavam os membros da comissão, deputados Cassia Muleta, Cirone Deiró e Chiquinho da Emater (PSB). Presentes à reunião estavam os também membros da comissão, Ezequiel Neiva (PTB), Marcelo Cruz (Patriotas) e Ismael Crispin (PSB), encarregado de emitir o relatório, que foi aprovado ao final da reunião. O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), e os deputados Jean Oliveira (MDB) e Jair Montes (Avante),

Por videoconferência, participaram os deputados Adelino Follador (DEM) e Lazinho da Fetagro (PT), José Lebrão (MDB), Anderson Pereira (PROS)

O deputado Crispin leu o breve currículo do sabatinado, com destaque para o cargo que ocupou até pouco tempo como secretário de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) e de coordenador da transição do Governo de Confúcio Moura para Marcos Rocha, de quem é homem de confiança.

Em seguida, Elias Rezende apresentou algumas propostas de ações e projetos, para desenvolver a frente da direção do DER. “Sei da importância da tarefa que estarei assumindo. Sem estradas trafegáveis, não temos como escoar a produção e não temos como promover o desenvolvimento do Estado de Rondônia”, destacou.

Rezende ressaltou que, em quase 20 anos como servidor público, nunca cometeu erros e nem responde a processos. “Sem dúvida, em sendo referendado meu nome aqui por esta Comissão, por este Parlamento, estarei me dedicando ao máximo, dando o meu melhor, como sempre tenho feito, para contribuir para o crescimento de Rondônia”.

Em seguida, ele pontuou que “muitos me perguntam se eu sou engenheiro. Não, não sou engenheiro. Tenho formação em direito e pós-graduação em gestão pública. Precisamos de um gestor no DER, que valorize aos servidores, que tenha capacidade de planejar, que acolha os pleitos dos prefeitos, vereadores, deputados e da sociedade e busque os meios de resolvê-los”.

Segundo o sabatinado, “as cobranças serão muitas, não tenho dúvidas disso. Conto com o apoio dos servidores do DER e sei que não podemos resolver tudo, mas vamos nos empenhar ao máximo. Desde que fui sondado para assumir o comando do DER, me debrucei para conhecer melhor o órgão e as questões legais. Tenho uma visão geral, um panorama do que precisamos fazer”.

Deputados

O presidente da comissão fez algumas indagações e comentou sobre a gestão anterior do DER. “Vivemos um caos total, em todas as regiões, e quando a gente levava a mensagem de caos ao governador, ele rebatia dizendo que não havia caos algum. Quero afirmar que o coronel Meireles foi o pior diretor geral do DER em Rondônia, trazendo prejuízos aos cofres públicos, aos servidores, e à sociedade. Meireles foi o responsável pelo desmanche do DER e pela situação deplorável das nossas estradas. Além de incompetente e de falta de gestão, ainda lhe falta humildade. A sua prepotência levou o DER ao caos”.

Luizinho Goebel falou sobre algumas ações que poderiam ser tomadas. “Seria uma alternativa a terceirização, firmar convênios com os municípios, ou realizar obras via execução direta, que creio ser a mais viável no momento, para pelo menos amenizar os problemas. Por outro lado, seria importante a existência de oficinas de apoio pelo interior”.

Goebel questionou ao indicado por Marcos Rocha ao DER se ele aprova o nepotismo, seja de forma direta, ou o chamado nepotismo cruzado.

O presidente Laerte Gomes abriu sua fala reconhecendo a atuação do sabatinado, no comando da Sedam. “O Elias Rezende fez um trabalho com dinamismo e de forma séria e responsável, dando equilíbrio e celeridade nas ações da Sedam. Todos nós temos muitas expectativas com a sua indicação para comandar o DER”.

Em seguida, Laerte se referiu à gestão do ex-diretor, coronel Erasmo Meireles: “Respeito o governador Marcos Rocha, mas a gestão do coronel Meireles no DER foi desastrosa. Mas, confio que o Elias Rezende terá a liberdade para conduzir a sua equipe de gestão no DER, pois goza de prestígio e da confiança do governador. Por outro lado, o Legislativo tem um papel importante e quando os deputados levam suas demandas, em nome da população, precisam ser respeitados”.

Laerte Gomes aproveitou para pontuar que “temos o problema da cerca do aeroporto de Ji-Paraná, que se arrasta e prejudica e muito, correndo o risco de perdermos os voos. Outra questão é em relação à ponte do rio Urupá, em Ji-Paraná, que sofre com o projeto que foi feito de forma errônea. Se o DER não tiver condições de fazer, por gestão direta, essa obra, é uma situação insustentável”.

Ismael Crispin questionou ao indicado se o Governo tem algum plano para a valorização do quadro de servidores efetivos do DER, pelo reconhecimento ao trabalho realizado. “Temos ainda uma situação que precisa ser resolvida, que é a forma como tem sido conduzidas algumas residências do DER, que funcionam como se fossem ‘governos autônomos’, numa condição que precisa ser revista”.

Chiquinho da Emater desejou sucesso a Elias Rezende. “Você tem vontade de acertar as coisas no DER e vamos estar juntos, para ajudar, para que a população possa ser beneficiada com as ações do Departamento. Reconheço a sua capacidade de trabalho, demonstrada na Sedam, e acredito que terá êxito em sua nova missão”.

Jair Montes disse que é importante a sabatina, para que os parlamentares conheçam os projetos do gestor. “Essa pasta que o senhor está prestes a assumir é uma das mais importantes. Há uma cobrança muito grande, em todas as regiões, por mais ações do DER na melhorias das estradas. Só lhe peço uma coisa: trabalhe! Trabalhe, pois precisamos de desenvolvimento, de alguém que faça”.

Segundo Montes, “o DER hoje não funciona e isso acaba prejudicando as outras áreas, pois sem estradas não se faz saúde, não se faz educação, não se escoa a produção agropecuária”.

Jean Oliveira declarou que “a mudança na direção do DER traz uma nova esperança para toda a população. O Departamento precisava de uma retomada, de mostrar um novo rumo. Quero aproveitar para indagar ao sabatinado se ele terá total autonomia no comando do DER, para inclusive definir a sua equipe de trabalho”.

Em resposta, Elias Rezende afirmou que “peguei a lei que rege a estrutura do DER, para conhecer melhor. Assim como recebi total autonomia por parte do governador Marcos, para conduzir a Sedam, creio que no DER terei a mesma autonomia”.

Adelino Follador disse que é importante conhecer as propostas de quem vai assumir a gestão de pastas públicas. “Acredito que o Elias Rezende terá sucesso, sendo um facilitador, que vai resolver problemas. O DER hoje enfrenta muitas críticas, em razão de má gestão, infelizmente. Hoje, o grande problema são as estradas, os eixos de interligação. Que o futuro diretor consiga implementar as ações que Rondônia necessita”.

O deputado Lebrão aproveitou para destacar a decisão do governador, em promover a troca no comando do DER. “Parabéns ao governador pela indicação do Elias Rezende para o DER, acredito que ele fará um grande trabalho, pois tem conhecimento e vontade de trabalhar. Desejo sucesso ao futuro diretor”.

Cassia Muleta disse que “na Sedam, o Elias Rezende já mostrou a sua competência e estou confiante de que terá sucesso também no DER. Eu espero que possamos trabalhar em parceria, pois esta Assembleia é uma aliada as boas ações e a melhoria na nossa malha viária é uma necessidade de todo o Estado”.

Ezequiel Neiva afirmou que “já fui diretor geral do DER e sei da complexidade e da importância da pasta, que conta com servidores capacitados. Mas, a frota de máquinas precisa ser renovada e é importante que haja a autonomia do diretor geral para indicar sua equipe, para promover as mudanças que precisam ser feitas”.

Cirone Deiró desejou sucesso ao Elias Rezende. “É uma grande missão, pois precisa de muito trabalho e de muito planejamento. É necessária a autonomia e a contratação de mais profissionais. Temos que aproveitar o período de estiagem e dar um novo impulso ao DER”.

Marcelo Cruz aproveitou para relatar que “produtores rurais passam seis meses, um ano cuidando de sua plantação, mas não conseguem escoar para comercializar. Também quero pedir que o futuro diretor do DER dê uma atenção especial para a Ponta do Abunã”.

O deputado Alex Redano (Republicanos) reconheceu que o sabatinado fez um trabalho de destaque no comando da Sedam, e que a expectativa em torno de seu desempenho no DER é a melhor possível. “Pode contar com o apoio desta Casa e desejo que possa fazer um trabalho de destaque, que assegure a melhoria das nossas estradas”.

O deputado Cabo Jhony Paixão (Republicanos) abriu sua fala, relatando que “em Ji-Paraná, na residência do DER, há muitas carcaças de maquinário, dá para vender no ferro velho e comprar máquinas novas”.

O deputado Eyder Brasil (PSL) destacou que “o governador Marcos Rocha acertou nessa indicação, pois o Elias Rezende é capacitado para a missão. Conte com o nosso apoio e espero que a sua passagem pelo DER seja de muito êxito”.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA