O Governo de Rondônia está movimentando uma força-tarefa para ajudar as prefeituras que enfrentam um possível risco de desabastecimento de oxigênio nas unidades hospitalares municipais. As estratégias adotadas pelo Executivo Estadual foram pontuadas durante reunião realizada nesta segunda-feira (15), no qual participaram representantes do Governo Estadual, Assembleia Legislativa de Rondônia, órgãos de fiscalização, empresas fornecedoras de oxigênio, prefeitos municipais entre outros órgãos.

O secretário-chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves explicou que o Poder Executivo está cumprindo com a palavra de não deixar a população desamparada e desabastecida de recursos e que a união nesse momento faz toda a diferença. “O Governo de Rondônia tem atuado em parceria com as prefeituras. O Estado não está deixando os prefeitos sozinhos, pelo contrário, estamos enviando recursos, articulando ações e mantendo o diálogo para que possamos juntos encontrar a melhor solução”, explicou Júnior Gonçalves.

A dificuldade de adquirir cilindros foi um dos temas mais pontuados pelas prefeituras. O alerta da empresa que fornecia o gás aos municípios tem preocupado os gestores municipais, visto que a demanda por cilindros de oxigênio aumenta a cada dia e vários Estados começam a sentir a falta do recurso.

Fernando Máximo, titular da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) pontuou durante a reunião, que no momento não há falta de oxigênio nas unidades estaduais, porque o Governo se preveniu com ações aumentando o estoque e instalando novos tanques para garantir o abastecimento nos hospitais. “Infelizmente o que prevemos há alguns meses, após alertarmos os prefeitos está acontecendo. Diante deste cenário preocupante estamos unindo forças com todos os órgãos da sociedade para darmos uma rápida resposta às prefeituras e a população. Tudo o que está ao alcance do Governo está sendo feito, mas precisamos que as prefeituras também façam a sua parte’’, ressaltou o secretário.

AJUDA À ARIQUEMES

No último fim de semana, a prefeitura de Ariquemes foi uma das primeiras a vivenciar um possível desabastecimento de oxigênio, o que fez com que o município adotasse a medida de racionamento para evitar a falta do gás. O presidente da Casa de Leis de Rondônia, Alex Redano, elogiou a postura do Executivo em prontamente atender e auxiliar o município. “Quero parabenizar o secretário de saúde Fernando Máximo, que não mediu esforços em auxiliar a prefeitura de Ariquemes, e é exatamente esse o objetivo desta reunião. Ouvir as prefeituras, entender a situação e unir todos os órgãos e entes da sociedade para encontrarmos uma rápida solução”, destacou o presidente.

PREVENÇÃO: O MELHOR CAMINHO

Ao final da reunião, o gestor da pasta da Saúde enfatizou a importância de que as prefeituras incentivem a adoção de medidas de prevenção nos municípios e utilizem os recursos enviados pelo Governo de Rondônia na criação de leitos de UTI. Segundo Máximo, as aglomerações contribuem com o aumento de novos casos e óbitos. “Nós estamos enfrentando um avanço da doença. O vírus agora possui novas variantes que são ainda mais perigosas e sem a conscientização da população, infelizmente a situação só vai piorar. Precisamos incentivar a população a evitar aglomerações neste momento”, concluiu o secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui