Dando continuidade à proposta de parceria entre a Prefeitura de Porto Velho e a Universidade Federal de Rondônia (Unir), o prefeito Hildon Chaves apresentou na quarta-feira (10) o Complexo Turístico Madeira-Mamoré à reitora da instituição, Marcele Pereira, que estava acompanhada do vice-reitor, professor doutor José Juliano Cedaro, e de uma comitiva de representantes de departamentos variados, como o de arqueologia, história, ciências sociais e economia.

Prefeito Hildon Chaves e reitora Marcele Pereira alinham parceriaPrefeito Hildon Chaves e reitora Marcele Pereira alinham parceria

O convite foi feito na última terça-feira (9) durante reunião entre o prefeito e a doutora em museologia, em que alinharam possíveis parcerias em diversas áreas para ações conjuntas em prol da população.

Considerada o principal cartão-postal da cidade, a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) foi totalmente revitalizada e ganhou até novas construções para fomento do turismo e do lazer local. O ponto turístico conta agora com “food trem” com seis baias destinadas a empreendimentos no ramo gastronômico, espaço para quatro grandes restaurantes e 12 lojas, entre outras construções. Os galpões 1 e 2 serão destinados para as peças de museu da EFMM, onde também haverá um mezanino.

A ideia é envolver docentes e discentes em projetos voltados ao complexoA ideia é envolver docentes e discentes em projetos voltados ao complexo

Para o prefeito, a parceria da sociedade civil organizada é extremamente importante para o uso apropriado do complexo. “Nós podemos estudar situações variadas e buscar os meios legais para isso, como um Termo de Cooperação Técnica. Nós precisamos construir juntos, precisamos de efetividade. Precisamos desse apoio, principalmente na parte histórica e arqueológica, usando o acervo que vocês já vem recuperando nos achados arqueológicos, então precisamos envolver os docentes, discentes, tudo isso podemos construir juntos”, disse Hildon se referindo à Universidade e relembrando a importância do acervo.

Totalmente aberta à parceria, a reitora já adiantou algumas possibilidades de envolvimento da universidade. “Nossa ideia é tentar mobilizar nossos discentes para que possam atuar como mediadores, monitores das exposições para poder conduzir a população que virá visitar o espaço para conhecer, ter acesso às exposições, ao acervo, enfim, essa cooperação técnica que surge aqui faz sentido para que os departamentos possam se envolver na realização das exposições, na curadoria desses materiais arqueológicos e históricos, utilizando nossas pesquisas científicas também como resultado para apresentar a sociedade”, concluiu Marcele.

Texto: Renata Beccária
Fotos: Wesley Pontes

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui