Seas conscientiza população sobre cuidados para evitar doenças através do consumo de alimentos contaminados

Seas conscientiza população sobre cuidados para evitar doenças através do consumo de alimentos contaminados

Porto Velho, RO – Nesta semana em que comemora-se o Dia Mundial da Segurança dos Alimentos, data instituída no dia 7 de junho pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), a Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas), por meio da Coordenação de Desenvolvimento Social (CODS) e da Gerência de Segurança Alimentar e Nutricional (GSAN), conscientiza a população sobre a importância dos cuidados com a higiene e o armazenamento dos alimentos para evitar as Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA).

A segurança dos alimentos vai além da compra de produtos dentro do prazo de validade. Saber as condições de higiene e armazenamento daquilo que estamos consumindo é de suma importância para a saúde humana, por isso a Seas tem atuado com a elaboração de projetos e desenvolvimento de equipamentos públicos para combater à fome, permitir o acesso à água pura de qualidade, atendendo, principalmente, pessoas em situação de vulnerabilidade social, além de desenvolver, promover e acompanhar ações que favoreçam a implementação da Segurança Alimentar e Nutricional. Uma parceria foi firmada com órgãos, entidades, sociedade civil e Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional para que sejam assegurados o Direito Humano a Alimentação Adequada (DHAA).

Mais de 250 tipos de doenças são transmitidas por alimentos no mundo, sendo a salmonella uma das mais comuns

CRIANÇAS: GRUPO DE MAIOR RISCO

De acordo com dados do Ministério da Saúde existem mais de 250 tipos de doenças transmitidas por alimentos no mundo, sendo que a maioria delas é infecção causada por bactérias e suas toxinas, vírus e outros parasitas. A salmonella ou salmonellose é uma das bactérias mais comuns que provoca sintomas como vômitos, diarreia, febre, dor do estômago, cansaço e perda de apetite.

Ainda de acordo com os dados, estima-se que uma em cada dez pessoas adoecem após consumir alimentos contaminados, e que 420 mil pessoas morrem a cada ano. As crianças menores de cinco anos são as mais afetadas, com 125 mil mortes anuais. Mesmo diante dos dados alarmantes, é possível se proteger adotando medidas de prevenção.

HIGIENE CORRETA DOS ALIMENTOS

Para evitar a contaminação e consumo destes alimentos contaminados, é necessária a conscientização de toda a sociedade, já que os alimentos antes de chegarem à mesa da dona de casa, passam pela cadeia de produção agrícola, processamento, fabricação e a preparação.

Ao ter contato com alimentos, a dona de casa e demais consumidores devem atentar-se às principais medidas de higiene, como lavar bem as mãos, antes, durante ou depois de manipular ou consumir os alimentos; lavar frutas e verduras antes do consumo e, se possível, imergir em soluções cloradas (uma colher de sopa para cada mil litros), e após enxaguar bem estará pronto para o consumo.

ARMAZENAMENTO ADEQUADO

É importante armazenar frutas e verduras dentro da geladeira; congelar as carnes separadamente; evitar comer alimentos crus ou com pouco cozimento, dando preferência a alimentos bem cozidos e assados, além de evitar a contaminação cruzada usando a mesma faca ou tábua para cortar diferentes tipos de carnes, sendo necessário, nesse caso, a lavagem dos materiais.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA