Uma plataforma moderna e acessível, tanto pela internet quanto via satélite, foi implantada pela Prefeitura de Porto Velho para colocar o Serviço Móvel de Urgência de Porto Velho (Samu) na era digital. A novidade fará com que a equipe de regulação acompanhe em tempo real o andamento das ocorrências, além de agregar agilidade, eficácia e economia de gastos.

A novidade é o sistema Vsky Samu, que faz parte da plataforma interna do serviço. Ele vai tornar o atendimento mais preciso, inclusive no deslocamento das ambulâncias, que terão monitoramento em tempo real. O sistema será operacionalizado por telefone celular ou computador, sem a necessidade de papel, caneta ou rádios de comunicação.

O Samu é um serviço oferecido pela Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). A proposta da tecnologia em produzir eficácia e economia no atendimento à população também avança em diversos setores da administração municipal.

ECONOMIA

A diretora do Departamento de Média e Alta Complexidade da Semusa (Dmac), Francisca Nery, argumenta que o sistema vai gerar economia e ampliar a eficiência. “Um software vai armazenar todos os dados das ocorrências e emitir as informações para a equipe da ambulância mais próxima, logo após a regulação médica. É a otimização do serviço, considerando que a ambulância não precisará retornar à base do Samu para atender outra ocorrência. E isto gera economia no combustível”, explica.

 

O sistema diminuirá o tempo entre o chamado e o socorro à vítimaO sistema diminuirá o tempo entre o chamado e o socorro à vítima

Ela aponta mais vantagens: “O sistema diminuirá o tempo entre o chamado e o socorro à vítima, pois haverá integração com as ambulâncias. Também será muito útil para o registro de trotes, já que as ambulâncias são equipadas com GPS”.

A Semusa fará o monitoramento das ocorrências em tempo real e terá maior controle, por meios de relatórios diários, dos serviços realizados.

Segundo o assessor técnico do Samu, Raymisson Correia, as equipes já foram treinadas para interagir com o Vsky Samu. Ele destaca que faltam apenas alguns ajustes para que o sistema inicie a fase operacional, o que deve ocorrer ainda esta semana.

FUNCIONALIDADE

Renato Almeida, técnico da empresa Velp Tecnologia, responsável pela implantação da plataforma digital do Samu, explica que o sistema, que agrega solução de regulação, monitoramento e comunicação, é o mesmo utilizado em 600 municípios de Minas Gerais.

Ele explica que quando alguém ligar para o telefone 192 informando uma ocorrência, o atendente registrará nome, endereço, ponto de referência e demais dados da ocorrência. “O chamado será encaminhado automaticamente para o médico regulador na central, que fará orientações e o encaminhamento necessário, inclusive sobre o tipo de ambulância a ser utilizada”, acrescenta.

 

PRECISÃO

Raymisson Correia diz que as equipes já foram treinadas para interagir com o VskyRaymisson Correia diz que as equipes já foram treinadas para interagir com o Vsky

Para que a equipe da ambulância não perca tempo à procura do endereço da ocorrência, o sistema fará conexão imediata com os aplicativos Waze ou Google Maps, que mapeiam a cidade via satélite e indicam a localização exata de onde o serviço está sendo pedido.

 

FACILIDADE

Posteriormente, a Semusa disponibilizará ao público o aplicativo “192 Fácil”, que será utilizado quando o cidadão precisar acionar o Samu. Ao invés de fazer uma ligação por telefone, bastará fornecer as informações do paciente no aplicativo e a Central de Regulação fará o encaminhamento com a maior rapidez possível.

Para a área rural, onde a telefonia é deficitária, serão oferecidos serviços via internet.

Segundo Raymisson Correia, a alta tecnologia no Samu será um marco: “Vamos sair do tempo do papel e caneta e ingressar no campo virtual”.

VEJA O VÍDEO AQUI.

 

 

Texto: Augusto Soares
Fotos: George Luiz e Leandro Morais
Vídeo: George Luiz

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui