Vilhenenses não inscritos no CadÚnico podem se cadastrar para receber benefício de R$ 600 do governo federal; saiba como fazer

Porto Velho, RO –  Na quarta-feira, 01, foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro o projeto de lei que prevê uma renda básica emergencial de R$ 600 para autônomos, trabalhadores informais e sem renda, durante a crise provocada pela pandemia de Coronavírus no país. O valor será pago pelo Governo Federal por três meses, mas, foram levantados questionamentos sobre como será feito esse repasse a quem tem direito.

Diante disso, o FOLHA DO SUL ON LINE entrou em contato com a ex-secretária de Assistência Social de Vilhena, Patrícia da Glória, para saber como será o acesso ao benefício no município, e o que precisa ser feito para obtê-lo.

Patrícia explicou que, como o foco é evitar aglomerações de pessoas, o Ministério da Cidadania criará uma plataforma online, onde as pessoas que ainda não possuem o Cadastro Único possam se inscrever; já o dinheiro cairá na conta do beneficiado. Vale ressaltar que aqueles que já são inscritos no Bolsa Família são prioridade na ordem dos que receberão primeiro.

Em Vilhena muitos informais já são cadastrados, e aqueles que ainda não estão no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal)  deverão aguardar o lançamento da plataforma para fazer a solicitação.

O Ministério da Cidadania diz que há três opções para que a população saiba se está inscrita e também para novos cadastramentos:

Pelo site Consulta Cidadão (que tem apresentado oscilações por causa do grande número de acessos, então, talvez seja preciso tentar várias vezes)

O aplicativo de celular Meu CadÚnico, disponível para Android iOS

Por telefone, nos números 0800 707 2003 e 121.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA