Rede de supermercados de Vilhena adota medidas contra o Coronavirus e contrata empresa especializada para higienizar lojas

“Claro que queremos vender, mas o mais importante é fazermos isso preservando a saúde das pessoas que nos prestigiam”,

Porto Velho, RO – Na manhã deste sábado, 04, o FOLHA DO SUL ON LINE acompanhou o trabalho de desinfecção de uma das lojas do grupo de supermercados Friron, em Vilhena. A ação, que visa combater a disseminação do Coronavirus, está sendo executada por uma empresa especializada, com sede em Ji-Paraná, que atua em todo o Brasil.

Acompanhando o trabalho, o empresário Itamar Rover, que dirige o conglomerado varejista, disse que fez o investimento para preservar a saúde de seus colaboradores e clientes, e dar tranqüilidade às famílias, que neste momento estão apreensivas para fazer compras. As outras duas unidades do Friron na cidade também serão desinfetadas.

O representante da empresa que faz o trabalho disse que um químico desenvolveu a fórmula do produto aplicado, e garantiu que a borrifação não ameaça a saúde humana. “O produto mata os vírus que estiverem aqui, mas também qualquer espécie de germe ou bactéria. A ação dura 15 dias, mas nós vamos fazer duas aplicações, então, no mês em que se prevê mais casos de Covid-19, quem vier aqui está protegido”.

O gerente da unidade, Fabrício Neves de Souza, disse que esta não é a única ação da empresa para ajudar no combate à pandemia. “Nossos funcionários usam máscaras e uma moça na porta oferece álcool em gel; também controlamos a entrada e a circulação das pessoas, evitando aglomerações”.

Fabrício disse também que os funcionários são treinados para conscientizar os clientes sobre a importância da prevenção, e mostrou uma máquina adquirida para fazer a limpeza do chão do estabelecimento. “Isso evita o contato com os microorganismos nocivos, o que protege a nossa colaboradora, mas também os clientes”.

O gerente acrescentou que, na abordagem das famílias, é destacada a importância de todos se envolverem em ações preventivas contra o Coronavirus. “Claro que queremos vender, mas o mais importante é fazermos isso preservando a saúde das pessoas que nos prestigiam”, finalizou, acrescentando que aconselha pessoalmente que os clientes não venham com crianças, idosos e pessoas de risco fazer as compras.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA