Rondônia tem um caso confirmado suspeito de coronavírus

Rondônia tem um caso confirmado suspeito de coronavírus

Porto Velho, RO – O primeiro caso de coronavírus em Rondônia foi confirmado como suspeito pelo Ministério da Saúde, segundo divulgado na segunda (2).

Na manhã de terça-feira (03) em coletiva de imprensa o Secretário de Saúde Fernando Máximo confirmou o caso como suspeito pelo Ministério da Saúde.

O Secretário explicou que a paciente tem 43 anos veio do Japão e em Paris realizou uma conexão e viajou no mesmo vôo do paciente que já foi confirmado com o corona vírus em São Paulo.

Segundo o Secretário a mulher saiu do Brasil no dia 31 de janeiro ficou até dia 20 de fevereiro no Japão e voltou para o país no dia 22 em Garulhos (SP). No dia 27 de fevereiro a paciente começou a apresentar os sinais dos sintomas febre, dor de garganta, tosse, dor de cabeça e fraqueza e foi atendida na Policlínica Ana Adelaide.

“A paciente está neste momento em isolamento domiciliar que é o que deve acontecer na maioria dos casos. Hoje a paciente já está melhor praticamente assintomática, sem sentir nada, mas continua no isolamento. Foram coletados todos os exames necessários e na quarta-feira já saem o resultado de alguns que foram feitos em Porto Vellho. Já o resultado do corona deve sair sábado pois é realizado fora do estado”, disse o Secretário.

Se o caso for confirmado o Secretário disse que dependerá dos sintomas da paciente. “Se a paciente continuar com sintomas leves ela vai continuar sendo tratada em casa, 85% dos casos de corona vírus curam-se espontaneamente sem nenhum tratamento. O paciente fica curado tomando medicamento para febre e para dor”, destacou.

Nesse momento a paciente deve ingerir bastante líquidos, repousar e se manter em lugar arejado com janelas abertas usando uma máscara para se proteger e higienizando as mãos evitando compartilhar objetos pessoais. De acordo com o Secretário os familiares já estão instruídos para lidar com a paciente. A paciente não pode sair de casa e nem receber visitas, além da equipe de saúde. Cerca de 15% dos pacientes tem sinal de gravidade caso precise ela será encaminhada para internação no hospital.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA