Laerte Gomes comprova que falta de fiscalização do DER atrasa obras

Foto: Divulgação

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), esteve na tarde desta quinta-feira (30) na rua Pastor Paulo Leiva, no Bairro JK, em Ji-Paraná, fiscalizado as obras de esgotamento sanitário. O deputado comprovou tudo o que havia dito ao diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), coronel Erasmo Meireles, na última terça-feira (28): a empresa está trabalhando mesmo sem receber o que é devido pelo Governo, mas a obra caminha em ritmo lento devido a problemas na fiscalização.
Durante a comissão geral reunida na Assembleia Legislativa, Laerte havia  explicado que o pagamento ainda não foi feito devido à burocracia existente no DER. Foi preciso que o parlamentar conversasse com os responsáveis para que a empresa não se retirasse de Ji-Paraná. Outro ponto citado na reunião foi o de que não há fiscais qualificados para acompanhar a obra, o que ocasiona atrasos.
Na ocasião, o coronel Meireles alegou que é preciso fiscalizar antes que a empresa enterre e tubulação, para assegurar que o trabalho foi mesmo realizado. Laerte Gomes disse que o problema é que faltam fiscais qualificados, e isso está atrapalhando o andamento da obra.
Durante a fiscalização à obra, os responsáveis disseram ao presidente Laerte que nenhum fiscal tinha ido até lá até aquele momento, nesta quinta-feira. Os encarregados explicaram que 80 trabalhadores foram contratados para executar o serviço, mas poderia haver mais. Ocorre que, sem fiscais experientes no DER, isso é inviável. Foi constatado que a fiscalização é realizada apenas esporadicamente. Na quarta-feira (29) os fiscais estiveram lá somente às 16 horas.
“Quando a gente cobra na Assembleia Legislativa o pessoal do DER diz que é fake news. O diretor-geral disse que está tudo bem, que a fiscalização está presente o tempo inteiro, e inclusive alegou que isso é preciso, porque depois que a tubulação é coberta de terra não há mais como fiscalizar”, destacou Laerte Gomes.
O presidente da Assembleia afirmou que mais uma vez Erasmo Meireles faltou com a verdade. “Essa é a obra mais importante para Ji-Paraná nesse momento. São quase R$ 180 milhões de investimento. Poderíamos estar aqui com 400 pessoas trabalhando, com a obra acelerada. Bastava ter colocado fiscais com conhecimento em saneamento básico”, acrescentou.
De acordo com o parlamentar, infelizmente os dois ou três engenheiros encarregados da fiscalização são leigos em saneamento básico. Ele afirmou que as portarias existentes no DER devem ser dadas a profissionais que entendam do assunto, para acelerar o trabalho.
“A população de Ji-Paraná clama por isso, ela implora por eficiência. Estamos mais uma vez fiscalizando e provando que o que nós falamos na Assembleia Legislativa é verdade, não é fake news. Está vendo, coronel Meireles? Saia da sua cadeira e venha na base olhar o serviço. Se o senhor chegasse aqui sem avisar seu povo do DER em Ji-Paraná, o senhor iria constatar que não há nenhum fiscal aqui e que os canos estão sendo todos cobertos sem que eles verifiquem”, finalizou Laerte.
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA